Lençóis Paulista inicia vacinação contra a Covid-19

Enfermeira Fernanda Ayub, de 50 anos, foi a primeira a receber uma das 680 doses da CoronaVac recebidas pelo município

A enfermeira Fernanda Ayub, de 50 anos, que atua na linha de frente do combate à pandemia, foi a primeira a receber a vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) em Lençóis Paulista. A cidade iniciou sua campanha de imunização na manhã desta quinta-feira (21), no Ambulatório de Especialidades Dr. Antonio Tedesco, no Centro, depois da chegada do primeiro lote com 680 doses da CoronaVac na noite da quarta-feira (20).

Segundo a Secretaria de Saúde, Fernanda Ayub foi escolhida para receber a primeira dose por ser a servidora da linha de frente com mais tempo de casa na área da saúde, mais precisamente, com 26 anos de profissão. Na linha de frente do combate à Covid-19, a lençoense atua na UBS (Unidade Básica de Saúde) Dr. José Antônio Garrido, no Jardim Ubirama, um dos postos de referência da cidade para o atendimento de casos com suspeita de infecção.

Após ser vacinada, a enfermeira se disse honrada e feliz por ter sido escolhida para simbolizar o momento histórico. “Foi muito emocionante, me sinto honrada como enfermeira, como mulher que está na linha de frente, junto com toda a equipe, na luta contra o coronavirus. Depois de ver tantas coisas que aconteceram em 2020, um ano de muitas perdas, de medos, de desafios, me sinto muito feliz por receber essa dose da CoronaVac”, destacou.

MAIS VACINAS

Além de Fernanda Ayub, foram vacinadas outras quatro profissionais da linha de frente: Valéria Inês de Oliveira Sasso, de 50 anos, auxiliar de enfermagem da ESF (Estratégia de Saúde da Família) Antonio Benedetti, no Jardim Monte Azul; Vânia Borin do Nascimento, de 55 anos, auxiliar de enfermagem que atua na Sala de Vacina do Ambulatório de Especialidades; Nair Maria Barreto, de 63 anos, técnica de enfermagem da UPA (Unidade de Pronto Atendimento); e Rosana de Oliveira Fiques, de 41 anos, enfermeira do Hospital Nossa Senhora da Piedade. A responsável por aplicar as vacinas foi a técnica de enfermagem Ivane Regina de Lemos Afonso, de 50 anos, auxiliar de enfermagem da UBS Dr. Antonio Leão Tocci, na Cecap.

Ausente devido a outros compromissos relacionados à pandemia, o prefeito Anderson Prado de Lima (DEM), foi representado pelo secretário de Saúde Ricardo Conti Barbeiro e pela coordenadora da Vigilância Epidemiológica e presidente do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, Adriana Aparecida Santana. A cerimônia também contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Jucimário Cerqueira dos Santos, o Bibaia (PODE).

Antes do início da vacinação, Barbeiro disse ter fé que a vacina contribuirá para que, em breve, a cidade tenha dias melhores, mas enfatizou que o momento ainda é de atenção, cuidado e respeito aos protocolos sanitários que visam frear o avanço no contágio pelo novo coronavírus. Também lembrou que para que todos voltem a ter a vida mais próximo do normal possível é preciso adquirir a imunidade de rebanho, que só se consegue com a grande maioria da população vacinada.

“É um momento histórico. Fico muito feliz e esperançoso, pois, a partir do início da vacinação, temos um Norte para seguir. Acreditamos que as coisas podem melhorar. Agora, aguardamos os próximos passos do Ministério da Saúde, os próximos envios de vacinas para que consigamos imunizar o maior número de pessoas no município. Só assim teremos a garantia e a segurança de voltar a uma certa normalidade”, completou o secretário de Saúde.

CRONOGRAMA

Conforme antecipado na edição da quarta-feira (20) de O ECO, a remessa com 680 doses da CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac, da China, e importada a partir de parceria firmada com o Instituto Butantan, deve, inicialmente, ser utilizada para imunizar os profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Por conta da quantidade limitada de doses, a Secretaria de Saúde elaborou um cronograma para a primeira etapa de imunização.

“Inicialmente, serão vacinados os profissionais que estão na linha de frente no combate à pandemia, os servidores responsáveis pela aplicação das vacinas, além dos trabalhadores que atuam em ILPI (Instituições de Longa Permanência para Idosos)”, revela Barbeiro, que diz que uma equipe volante deve percorrer instalações como o Hospital Piedade, UPA, CMU (Centro Médico Unimed) e as ILPI, como o Lar Nossa Senhora dos Desamparados e clínicas particulares.

destaques