Lençóis já registra oito casos de dengue

Microrregião já contabiliza 34 infecções até o momento, 20 apenas na cidade de Borebi

A dengue voltou a ser motivo de preocupação para a Secretaria de Saúde de Lençóis Paulista, que já registrou oito casos positivos da doença no início deste ano (sete apenas em março). Com outros 11 casos suspeitos aguardando a liberação dos resultados pelo Instituto Adolfo Lutz até na tarde dessa quinta-feira (7), o município se mobiliza no combate ao mosquito Aedes aegypti.

Segundo dados obtidos pela reportagem de O ECO junto à Vigilância Epidemiológica local, os casos positivos de dengue foram registrados em sete diferentes bairros: Cecap, jardins Maria Luiza I, II e III, Monte Azul, Morumbi e Residencial Antonio Lorenzetti Filho. Dos oito casos confirmados, cinco são importados e três autóctones, ou seja, contraídos no próprio município.

Com a diminuição dos casos de Covid-19, os agentes comunitários de saúde voltaram a realizar visitas nas residências recentemente, buscando eliminar possíveis focos de água parada que podem se tornar criadouros do mosquito Aedes aegypti. Segundo o secretário de Saúde Ricardo Conti, muitas pessoas têm receio de autorizar a entrada em suas casas, o que prejudica o trabalho.

“Essa recusa tem prejudicado muito nossas ações de prevenção. Precisamos do apoio da população no sentido de abrir as portas para os agentes comunitários de saúde. Eles estão sempre uniformizados, com identificação e um tablet da Prefeitura Municipal. Quem ainda tiver dúvida, pode ligar no número 08002691120 para confirmar a identidade dos agentes”, reforça o secretário.

Apesar do sinal de alerta, os números apontam uma queda considerável no número de casos neste primeiro quadrimestre, em comparação ao mesmo período de 2021. Entre janeiro e abril do ano passado, foram notificados 52 casos suspeitos, dos quais 20 testaram positivo. A confirmação de oito casos até o momento representa diminuição geral de 60% no número de infecções.

Mesmo com a diminuição em relação a 2021, Conti destaca que é preciso manter as precauções para que a doença não se espalhe. “Estamos passando por uma época onde a chuva se alongou mais, ocorrendo de forma esporádica ao longo dos dias. Isso preocupa os agentes comunitários, que estão procurando reduzir ou zerar os locais onde possam ocorrer o acúmulo de água parada”, completa.

Além de manter residências, terrenos, estabelecimentos comerciais e outras propriedades limpas e permitir a fiscalização dos agentes comunitários, a população também pode contribuir para eliminar a dengue através do “Cidade 10”, canal de comunicação que aceita denúncias sobre situações que colaboram para o agravamento da dengue na cidade. O número é (14) 3269-7010.

A microrregião de cobertura de O ECO também já tem casos confirmados de dengue em 2022. A pequena Borebi, de apenas 2.713 habitantes, segundo a estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) já registrou 20 infecções (15 autóctones e cinco importados). Macatuba registrou seis casos (dois autóctones e quatro importados). Areiópolis tem apenas um caso importado.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques