Comad alerta para uso de narguilé e cigarros eletrônicos

Venda dos produtos é proibida para menores de idade, mas consumo cresce nesta faixa etária

O Dia Mundial Sem Tabaco, uma campanha global que acontece no dia 31 de maio, tem o objetivo de realizar ações de combate e conscientização sobre os riscos que o tabagismo traz para a saúde. Em Lençóis Paulista, a ação também visa informar as pessoas sobre como ter uma vida saudável e proteger as crianças, adolescentes e adultos sobre os efeitos do uso de tabaco.

Danieli Roza, presidente do Comad (Conselho Municipal Sobre Drogas) de Lençóis Paulista, ressalta o papel das escolas e instituições de ensino no combate ao uso do tabaco. “Envolvemos as escolas em todas as campanhas de prevenção e conscientização de drogas, álcool e outras substâncias psicoativas. Nesse sentido, os professores desenvolvem atividades de sensibilização com as crianças para que elas tenham a possibilidade de fazer novas escolhas e conhecer os perigos que essas substâncias trazem, além de levar essa informação para a família”, diz. 

A presidente do Comad lembra que, atualmente, os jovens estão sendo atraídos por outros tipos de substâncias viciantes encontrados no narguilé e cigarros eletrônicos. “O principal problema é que eles não reconhecem como viciante e perigoso o uso do narguilé e cigarros eletrônicos. Então, como usa-se uma essência, os jovens entendem que é mais um uso de diversão e curtição, mas isso traz muitos prejuízos para a pessoa. Muitas vezes, maior que o próprio cigarro”, acrescenta.

Desde 1990, existe uma lei que proíbe a venda ou entrega a crianças e adolescentes de produtos que tenham componentes que podem causar dependência física ou psíquica, como é o caso dos produtos derivados do tabaco. Em 2020, a Lei 8.069/1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) foi modificada e detalhada para proibir, também, a venda de produtos fumígenos, cachimbo, narguilé, piteira e papel de enrolar cigarro para qualquer menor de idade.

O Comad foi criado em 2014, após a realização do Fórum Permanente do Combate ao Uso de Drogas desenvolvido no município. O órgão é composto por membros da sociedade civil e Poder Público. Em 2017, o conselho apresentou um documento que reuniu políticas antidrogas para o município e, desde então, desenvolve atividades de conscientização e sensibilização para a comunidade. “A prevenção é mais barata que a correção”, encerra Danieli.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques