Caso de sarampo em bebê é o primeiro em mais de 26 anos

Por conta de registro, Lençóis faz plantão de vacinação em todas as unidades neste sábado (16)

Conforme antecipado na quinta-feira (14), pelo site de O ECO, Lençóis Paulista confirmou um caso de sarampo em um bebê de dois anos. Diante disso, neste sábado (16), as unidades de saúde fazem plantão para o atendimento de todos que precisarem atualizar a caderneta de vacinação. A ação integra a Campanha Nacional de Multivacinação, que vai até o dia 29 deste mês.

De acordo com informações divulgadas pela assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal, o paciente estava com a vacinação em dia e não esteve em outras localidades. A Secretaria de Saúde colheu amostras para a realização da contraprova no Instituto Adolfo Lutz e o caso será notificado como autóctone se o novo exame também der positivo. A criança passa bem e já não apresenta mais sintomas.

“O resultado da contraprova ainda deve levar de sete a 10 dias para sair, mas, independentemente disso, é muito importante que tratemos o caso como positivo e tomemos as medidas necessárias para evitar qualquer tipo de disseminação, até porque, em nossos registros dos últimos 26 anos não encontramos nenhum caso confirmado”, destaca Adriana Santana, coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município.

No início da tarde dessa sexta-feira (15), um possível segundo caso foi registrado após uma família procurar uma unidade de saúde com outro bebê, de apenas um ano, com sintomas da doença. De acordo com o secretário de Saúde Ricardo Conti Barbeiro, o paciente passou por consulta, foi medicado e passa bem. O material biológico foi coletado para encaminhamento ao Instituto Adolfo Lutz.

Mesmo sem confirmação oficial, o secretário reforça a importância de manter a vacinação em dia. “A vacina contra o sarampo tem eficácia superior a 90% e isso, além de contribuir para impedir o avanço do contágio, faz com que as pessoas devidamente vacinadas desenvolvam quadros mais brandos da doença caso tenham contato com o vírus. Por isso, pedimos às pessoas que compareçam às unidades neste sábado”, diz.

PARA TODOS

O foco da Campanha Nacional de Multivacinação são crianças e adolescentes menores de 15 anos, no entanto, como forma de prevenção a um possível surto de sarampo na cidade, a recomendação da Secretaria de Saúde é para que todos que não tiverem o esquema vacinal completo contra a doença compareçam às unidades de saúde, que também estarão aplicando outras vacinas durante a mobilização deste sábado.

De acordo com o Ministério da Saúde, as vacinas contra o sarampo devem ser aplicadas aos seis (dose zero), 12 e 15 meses vida.  Quem tem até 29 anos e não tomou nenhuma dose ou perdeu a caderneta deve tomar duas doses. Quem tem entre 30 e 59 anos pode tomar apenas uma. Já quem tem 60 anos ou mais não precisa se vacinar. Profissionais de saúde devem tomar duas doses independentemente da idade.

MULTIVACINAÇÃO

Neste sábado, o atendimento nas unidades de saúde de Lençóis Paulista acontece ininterruptamente das 8h às 16h30. Para se vacinar, é necessário apresentar a caderneta de vacinação (quem tiver), Cartão Cidadão e documento de identificação com foto. As pessoas que não puderem comparecer durante o plantão de vacinação podem procurar as unidades durante a semana, de segunda a sexta-feira, das 8h às 11h30.

Além da vacina Tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, e da Tetraviral, que também imuniza contra varicela, serão aplicadas as vacinas BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/HepB), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavírus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre Amarela, DTP (Tríplice Bacteriana) e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Saiba mais sobre o sarampo

O sarampo é uma doença viral aguda e extremamente grave, principalmente em crianças com menos de cinco anos de idade, pessoas desnutridas e/ou imunodeprimidas. Os principais sintomas da doença são manchas vermelhas na cabeça e corpo, febre, tosse, irritação nos olhos, nariz correndo ou entupido e mal-estar intenso.

A transmissão do vírus ocorre de forma direta, por meio de secreções nasofaríngeas expelidas ao tossir, espirrar, falar ou respirar próximo às pessoas sem imunidade contra o sarampo. Além disso, o contágio também pode ocorrer pela dispersão de aerossóis com partículas virais no ar, em ambientes fechados.

Após um surto de sarampo ocorrido em 2018, com mais de 10,3 mil casos registrados, a OPAS (Organização Pan Americana da Saúde) retirou do Brasil a certificação de “país livre do vírus do sarampo”. Em 2019, com a crise se agravando e baixa adesão à vacinação, o número de casos chegou a 20,9 mil.

A situação melhorou em 2020, por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), com o número caindo para 8.448 casos. Até maio deste ano, haviam sido confirmados 456 casos, incluindo dois óbitos. Como já citado, Lençóis Paulista não tem registro de casos há, pelo menos, 26 anos.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques