Comércio segue aberto com algumas restrições

OTIMISMO – Lençóis Paulista espera avançar para Fase Amarela do Plano São Paulo (Foto: Vitor Rodrigues/Divulgação)

A Região Administrativa de Bauru foi mantida na Fase 2 (Laranja) do Plano São Paulo, projeto que prevê a retomada gradativa das atividades econômicas no estado durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). O anúncio foi feito pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), nessa sexta-feira (17), durante coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes. Deste modo, Lençóis Paulista e Macatuba seguem a retomada da economia com maior controle, pautadas em regras de higiene, limite de pessoas nos estabelecimentos e horários limitados de funcionamento.
Parte do avanço e da consequente manutenção da região na Fase Laranja do Plano São Paulo se deve ao início do funcionamento de 40 leitos de enfermaria do novo Hospital das Clínicas de Bauru, destinados a casos de baixa e média complexidades de pacientes diagnosticados com Covid-19. A quantidade de leitos exclusivos para o tratamento da doença para cada 100 mil habitantes é um dos cinco indicadores utilizados para a classificação das regiões. Os demais são taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Covid-19, variação de casos, variação de internações e variação de óbitos.
Em Lençóis Paulista, passados quatro meses do início da quarentena, a economia também vem sendo tratada como prioridade. “Estamos trabalhando para promover o fomento da economia enquanto seguimos no combate da doença na área da saúde. Aguardamos do Governo do Estado o envio de mais 20 respiradores a Bauru e, por isso, com essa maior disponibilidade de leitos, existe uma expectativa de que, na próxima mudança de fase do Plano São Paulo, a região retorne à Fase Amarela, o que vai possibilitar mais flexibilizações em relação à abertura do comércio”, destaca o prefeito Anderson Prado de Lima (DEM).
Em Macatuba o cenário é o mesmo. Na Fase Laranja, os comerciantes têm mais liberdade para trabalhar, voltam a atender presencialmente o público, mesmo que por tempo reduzido (os estabelecimentos podem funcionar até seis horas diárias, desde que fechem durante três dias da semana), o que representa um grande avanço. “Se todos continuarem colaborando, a tendência é que nós evoluamos mais uma fase daqui uma semana. Mas é bom deixar claro que todas as medidas de prevenção e o distanciamento entre as pessoas devem ser respeitados. Vamos caminhar à normalidade para que a economia possa aquecer novamente”, garante o prefeito Marcos Olivatto (PL).
Em Bauru, cidade considerada polo comercial da região, está em vigor uma lei, proposta e aprovada pelo Poder Legislativo, de flexibilização da quarentena que contraria o plano estadual. O prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSDB) chegou a vetar o texto, pois, segundo o chefe do Executivo, ela seria inconstitucional, mas a Câmara Municipal derrubou tal decisão. A lei foi publicada e, após desavenças, a discordância foi sanada na semana passada, depois que ambos os Poderes publicaram uma nota conjunta para “selar a união no enfrentamento da pandemia”. No entanto, há a expectativa de que a matéria seja derrubada pela Justiça.
Passados 14 dias da nova classificação conquistada, na semana que vem, a Região Administrativa de Bauru já pode ir para a Fase 3 (Amarela) do Plano São Paulo, com a abertura de um número maior de setores, pois, segundo o projeto, os avanços de fase acontecem a cada duas semanas, caso haja algum avanço nos indicadores de saúde. Em contrapartida, se for constatada piora na situação, o Governo do Estado tem a prerrogativa de rebaixar a região novamente, nesse caso, a análise é semanal.
Associações comerciais estão otimistas com avanço
O clima é de otimismo no comércio para a retomada da economia após a primeira semana da Região Administrativa de Bauru na Fase Laranja. “Sentimos nessa primeira semana um otimismo por parte do comerciante, mas também certa apreensão pelo o que está por vir. Isso porque as coisas mudam a cada dia”, afirma José Antonio Silva, o Neno, presidente da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista), que se diz favorável a outro sistema de horários de funcionamento das lojas. “Seria muito melhor para todos se o comerciante pudesse abrir sua loja das 7h às 22h, por exemplo, pois se o espaçamento de tempo é maior, a aglomeração, consequentemente, será menor”, avalia.
Evandro Manfio, presidente da ACE (Associação Comercial e Empresarial) de Macatuba, acredita que há uma ansiedade geral por parte de todos com relação a mais avanços da região no Plano São Paulo, sempre mantendo os protocolos de segurança. “Não está sendo fácil se manter com esse abre e fecha, todos nós sabemos, mas a população precisa ter a consciência de que os cuidados precisam ser mantidos”, pontua. Sobre a primeira semana na Fase Laranja, ele faz um balanço positivo. “Mesmo sendo em uma jornada reduzida, percebemos melhora. Ainda não temos um comparativo de vendas entre uma fase e outra, mas o importante é que a nossa população está cautelosa”, completa Manfio.

destaques