Comerciantes se adaptam às novas regras da Fase Vermelha

Apesar de flexibilizações, estabelecimentos viram fluxo de clientes cair nesta semana

Desde a última segunda-feira (25), após ter sido rebaixada pelo Governo do Estado, a região de Bauru está na Fase Vermelha do Plano São Paulo, com restrições mais rígidas no programa de retomada da economia durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A classificação permite o funcionamento apenas das atividades essenciais, como supermercados, padarias e farmácias, porém, Lençóis Paulista e outras cidades adotaram regras mais flexíveis.

O decreto publicado pela Prefeitura Municipal liberou o funcionamento do comércio em geral, só que nos mesmos moldes que foram adotados no início da quarentena, entre março e abril do ano passado. A flexibilização vale de acordo com os horários estabelecidos nos respectivos alvarás, sem acesso dos clientes aos estabelecimentos, com recuo de 1,5 metro e com atendimento apenas nos formatos delivery e drive-thru.

Restaurantes, lanchonetes, bares e trailers podem funcionar 24 horas com o delivery e até as 22h no formato drive-thru, sem acesso interno aos estabelecimentos e consumo no local. Já as barbearias, cabeleireiros, clínicas médicas e estéticas em geral, que são classificados como essenciais por decreto federal, podem atender com horário agendado, uma pessoa por vez, sem sala de espera. Academias podem funcionar de acordo com as regras de distanciamento.

Na primeira semana com as novas regras, que devem se estender, pelo menos, até o próximo domingo (7), mesmo com a flexibilização adotada em relação às determinações do Governo do Estado, os proprietários de estabelecimentos da cidade já sentiram uma redução considerável no número de clientes e, como consequência, nas vendas. Para minimizar os impactos, eles tentam se adequar às medidas da melhor forma, sem prejudicar o atendimento.

Priscila Daiane da Silva Destro, gerente da Yes Boot’s, explica que para garantir a segurança dos clientes e funcionários, a loja está seguindo rigorosamente o decreto. “Estamos cumprindo todas as normas, fazendo o possível para atender aos nossos clientes da melhor forma, dada as circunstâncias. Mantemos o uso de máscara, álcool em gel, praticamos o distanciamento social e atendemos um cliente por vez na porta do estabelecimento”, afirma.

Os restaurantes também tiveram que se readaptar, como conta Sônia Marcotto, sócio proprietária da Churrascaria Estância Grill. Antes da Fase Vermelha, o restaurante possuía o self-service e tinha implementado o uso de luvas descartáveis aos clientes, para que não houvesse contato com os utensílios. Atualmente, o local está funcionando apenas através do sistema de delivery e drive thru. “Estamos seguindo todas as medidas e higienizando o restaurante. Esperamos que depois do dia 7 seja diferente”, diz.

Rosane Lopes Moretto, proprietária do salão de beleza Rô Cabeleireira, destaca que por ter várias clientes idosas, viu o o fluxo diminuir drasticamente em seu salão. “O local não está funcionando da mesma maneira que funcionava antes, está bem mais calmo. Estou atendendo de duas a três clientes no dia. A pandemia afetou muito por aqui e, de um ano para cá, muita coisa mudou. Mas temos que seguir os protocolos para não corrermos riscos”, relata.

Doria anuncia cancelamento do feriado de Carnaval

O governador João Doria (PSDB) anunciou novas mudanças no Plano São Paulo nessa sexta-feira (29). Com melhoras nos índices utilizados como referência, as regiões de Presidente Prudente e Sorocaba passaram da Fase Vermelha para a Fase Laranja. Já a região de Ribeirão Preto, que estava na Laranja, foi rebaixada para a Fase Vermelha, que a partir da segunda-feira (1) passa a ter seis regiões: Barretos, Bauru, Franca, Marília, Ribeirão Preto e Taubaté.

Para tentar conter o avanço da pandemia, o Governo do Estado também anunciou que decidiu cancelar o feriado de Carnaval, retirando o ponto facultativo em repartições e serviços públicos nos dias 15 e 16 de fevereiro. Com isso, o expediente dos funcionários ocorrerá normalmente nesses dois dias. A medida foi uma recomendação feita pelo Centro de Contingência da Covid-19, formado por 20 médicos que aconselham o governo nas medidas de combate à pandemia.

Segundo o governador, que lembrou que o estado está no meio da segunda onda da Covid-19, o objetivo do cancelamento é evitar aglomerações, festas, encontros e viagens com o feriado. “Não é razoável que festividades ocorram diante de uma situação tão trágica. Nós, evidentemente, não estamos proibindo as pessoas de viajarem, nem poderíamos, mas não teremos feriado de Carnaval”, disse Doria em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes.

destaques