CDHU autoriza início da construção de casas populares em Areiópolis

Ordens de serviço contemplam 107 unidades habitacionais

A Secretaria de Habitação do Governo do Estado de São Paulo autorizou, na última sexta-feira (6), por meio da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), o início da construção de 107 casas na vizinha cidade de Areiópolis. Com investimento de R$ 10,5 milhões, as obras contemplam dois conjuntos habitacionais distintos, com 73 e 34 unidades, respectivamente.

A assinatura das ordens de serviço ocorreu em evento realizado na cidade de Itapetininga, com a participação do governador Rodrigo Garcia (PSDB), do secretário de Habitação Flávio Amary, do prefeito Antonio Marcos dos Santos, o Toni (PL), do presidente da Câmara Municipal Marildo Alves (MDB), além dos vereadores Gilberto Lima (DEM), João Miquelino (DEM) e Robson Santos (MDB).

Segundo o prefeito, as casas integram o Programa Nossa Casa, que tem um novo modelo de construção totalmente subsidiado pela própria CDHU, que assumiu a execução dos empreendimentos após o fim da parceria com Caixa Econômica Federal, que antes era responsável pelos financiamentos habitacionais. O investimento total estimado para a construção das moradias é de aproximadamente R$ 10,5 milhões.

“Casa popular é muito importante para a população que precisa. Conseguimos entregar 100 moradias da CDHU em nossa primeira gestão, mas ainda temos um grande déficit habitacional, muitas pessoas continuam pagando aluguel, morando na casa dos pais ou dos sogros. Fico muito feliz que, em breve, conseguiremos realizar o sonho da casa própria para mais 107 famílias areiopolitana”, comenta Toni.

As obras serão executadas pelo Consórcio Região de Sorocaba, formado pelas construtoras Itajaí, S. Figueiredo e Infratecnica Engenharia, vencedor do processo licitatório realizado pelo Governo do Estado de São Paulo. De acordo com o chefe do Poder Executivo, as obras devem ser concluídas entre seis e 10 meses. Neste período, a CDHU deve realizar o processo de seleção para parte das moradias.

Para as 73 casas que serão construídas no Conjunto Habitacional Geraldo Cavalheiro, todos os contemplados já foram definidos em sorteio realizado em junho de 2020. Na ocasião, 785 pessoas se inscreveram, ficando 712 como suplentes. Já para as demais 34 casas, que serão implantadas no Conjunto Habitacional Pref. João Cadete, conhecido como Nosso Teto, as inscrições devem ocorrer nos próximos meses.

De acordo com a assessoria de imprensa da CDHU, antes da entrega das moradias, todos os sorteados precisam passar pela análise das documentações necessárias. Caso algum dos comtemplados não atenda aos critérios exigidos, a companhia dá início à convocação dos suplentes em cada categoria (demanda geral, idosos e portadores de deficiência), de acordo com a ordem de sorteio.

Os projetos das unidades habitacionais contemplam casas com terreno de 200 metros quadrados, com área útil de 47,87 metros compostas por dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, com pisos cerâmicos, rodapé e laje de concreto em todos os cômodos, azulejos nas paredes hidráulicas (com pontos de saída de água), estrutura metálica nos telhados, além de sistema gerador de energia fotovoltaica.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques