Jonadabe quer abrir CEI para apurar comunicação do governo Bel

NO ATAQUE – Jonadabe pede abertura de CEI para investigar comunicação e ataca jornal O ECO – (Foto: Tiago Moreno/OECO)

O vereador Jonadabe José de Souza (PDT) apresentou na segunda-feira, 25, à Câmara Municipal, pedido de abertura de CEI (Comissão Especial de Inquérito) para apurar gastos de comunicação da Prefeitura e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), na administração da prefeita Bel Lorenzetti (PSDB). O vereador fez o pedido tomando por base uma denúncia anônima, publicada no último final de semana pelo jornal “Sabadão do Povo”, que afirma ter recebido o material dentro de um envelope deixado anonimamente no portão, o mesmo expediente usado, segundo o jornal, por aqueles que recentemente lhe encaminharam as denúncias de irregularidades na Casa de Cultura.
Em seu discurso, Jonadabe informou aos demais vereadores que, além do pedido apresentado à Câmara, naquele dia já havia também protocolado as denúncias no Tribunal de Contas, na Policia Federal e no Gaeco (Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado) e que ontem, 26, faria o mesmo no Ministério Público e na OAB de Lençóis Paulista, pedindo que esses órgãos investiguem a matéria. Disse que a investigação é importante e envolve “muito dinheiro, enquanto está faltando esse dinheiro para a Saúde, que não tem remédio, querendo vender a Rodoviária, não dá reajuste para o funcionário público e empresa jornalística pertencente ao grupo, através de laranjas, parasitas que tomam conta, fica levando esse “rodo” de dinheiro da Prefeitura”. Embora sejam vários os órgãos e empresas de comunicação citados, Jonadabe, vereador que tem sistematicamente atacado O ECO, sugeriu que a comissão leve o nome de “CEI do Jornal O ECO”.
Citando o documento – que diz desconhecer a autoria – Jonadabe afirma, entre outras coisas, que “na denúncia, por exemplo, a empresa ganha R$ 30 mil no ano da Prefeitura, numa ano e quando é no período eleitoral, sobe para R$ 150 mil da Prefeitura e R$ 150 mil do SAAE”. Também cita ainda um jornalista que teria saído do jornal que pertenceu ao marido da prefeita e foi contratado na Prefeitura, “é só maracutaia, só maracutaia e precisa ser investigado. É uma coisa séria”. Acusou ainda as administrações do PSDB à frente da Câmara Municipal de terem liberado “horrores de dinheiro” para comunicação.
Logo após o pronunciamento de Jonadabe, o presidente Prado de Lima (Rede) informou à Casa que enviou o material para o parecer do procurador jurídico, Antonio Carlos Rocha. Paralelamente determinou a confecção de cópias para a distribuição aos vereadores, que aconteceu na manhã de ontem. A seguir, discursando, chamou a imprensa de “chapa branda” reclamou que os vereadores e nem a ele, presidente da Câmara, não são ouvidos porque a Câmara não investe nos jornais.

destaques