Vereador de Agudos é preso em operação da Polícia Civil

Operação ‘Raio-X’ cumpriu quase 300 mandados de busca, apreensão e prisão

A Polícia Civil e o Ministério Público de cinco estados deflagraram nesta terça-feira (29) uma operação para o cumprimento de quase 300 mandados de busca, apreensão e prisão no âmbito de investigações de desvio de recursos públicos da Saúde.

A operação, batizada de Raio-X, apura irregularidades em contratos firmados com organizações sociais que administram unidades hospitalares em dezenas de cidades do país.

Os crimes investigados são fraude em licitações, falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Assista ao programa BOLETIM DE OCORRÊNCIA de 29/09/20

Segundo o DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais), de Bauru, na região foram cumpridos 30 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão, alguns na vizinha Agudos, inclusive na Câmara Municipal.

A ação resultou na prisão do vereador de Glauco Luís Costa Tonon, conhecido como Batata, do MDB, que é acusado de envolvimento no esquema. O irmão de Batata também foi preso na cidade de Paulistânia.

Além dos dois, foram presos um empresário do setor da saúde e um advogado. Todos foram levados para sede do DEIC de Bauru.

A ação foi coordenada pela Polícia Civil de Araçatuba, onde as investigações tiveram início, em conjunto com o Ministério Público de São Paulo e a Polícia Federal do Pará.

LENÇÓIS PAULISTA

Uma das organizações sociais investigadas é a Irmandade Santa Casa de Birigui, que administra a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Lençóis Paulista.

Um telejornal da Rede Globo, veiculado pela manhã, chegou a citar que a cidade estava na lista da operação, mas a informação não procede.

Nossa reportagem entrou em contato com a Polícia Civil, que confirmou que nenhum mandado foi cumprido na cidade.

Apesar de a Santa Casa de Birigui ter contrato firmado com o município, nenhuma prática criminosa apurada pela Operação Raio-X está relacionada a Lençóis Paulista.

O prefeito Anderson Prado chegou a emitir um comunicado em suas redes sociais dando esclarecimentos sobre o assunto e reiterando que as atividades da referida Organização Social são fiscalizadas por uma comissão do município, que visa garantir que tudo ocorra dentro da legalidade.

destaques