Polícia Civil investiga homicídio em Lençóis Paulista

Corpo de cabeleireiro foi encontrado em canavial; autor do crime alegou que foi ameaçado e induzido a matar a vítima

A Polícia Civil de Lençóis Paulista investiga um caso de homicídio ocorrido entre a noite da sexta-feira (29) e a manhã do sábado (30). O corpo do cabeleireiro S.P.A.F., de 41 anos, foi encontrado pelo vigilante de uma empresa por volta das 9h30 do sábado, ao lado de um canal de vinhaça na altura do quilômetro 2 da José Benedito Dalben (LEP-040). O autor do crime se entregou para as autoridades e afirmou que foi ameaçado por outra pessoa para que ele matasse a vítima.

O vigilante M.T.V.L., de 29 anos, declarou à Polícia Militar que foi informado por outras pessoas a respeito do corpo. Ao se aproximar do local, ele constatou que realmente havia um homem caído no local, já sem vida, e acionou a PM. O corpo da vítima estava nu, com as roupas ao lado.

Ao comparecer ao local, a equipe avistou o corpo, identificado posteriormente como S.P.A.F., de 41 anos. Segundo informações repassadas pela polícia, não havia lesões aparentes. A cerca de dois quilômetros do local, os agentes encontraram um carro abandonado, modelo Ford/Fiesta, que pertencia à vítima. O local foi preservado para a realização da perícia e as informações da ocorrência foram repassadas para a CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Bauru.

AUTOR SE ENTREGOU

Ainda no sábado, por volta de 20h, a Polícia Militar realizava uma patrulha de rotina pela cidade quando foi acionada para comparecer à Rua Treze de Maio, no Centro, onde um homem queria se entregar, assumindo a autoria do homicídio. D.R.D., de 24 anos, afirmou que na sexta-feira de manhã um homem de Bauru foi até sua residência e o ameaçou, dizendo que se não matasse S.P.A.F. sua família seria machucada.

D.R.D. relatou que se dirigiu à casa da vítima, onde contou a respeito da ameaça. Segundo o indivíduo, S.P.A.F. não acreditou e o convidou para tomar uma cerveja. D.R.D. disse que conduziu o homem até a área rural, onde desceu do veículo e começou a agredir o indivíduo com socos em seu rosto até que ele desmaiasse. Abandonando a vítima, ele entrou no carro e fugiu.

Familiares de S.P.A.F. refutam a alegação de que o autor e a vítima saíram para tomar cerveja juntos, afirmando que o cabeleireiro ficou trabalhando até tarde em seu salão. D.R.D. chegou a ser conduzido à CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Bauru, mas foi ouvido e liberado. A Polícia Civil foi questionada sobre o caso, mas disse não poder fornecer outros detalhes.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques