Homem que estuprou e matou jovem em Bariri é condenado a 40 anos

CASO MARIANA – Rodrigo Pereira Alves foi condenado a 40 anos de prisão por estuprar, matar, roubar e ocultar corpo de estudante (Foto: Divulgação)

Quase um ano após o assassinato de Mariana Forti Bazza, de 19 anos, em Bariri, a Justiça concluiu o caso e condenou a 40 anos de prisão em regime fechado, Rodrigo Pereira Alves, de 37 anos, acusado de estuprar, matar e ocultar o corpo da universitária. O crime aconteceu em setembro do ano passado, quando a jovem aceitou ajuda do criminoso para trocar o pneu de seu carro, após sair de uma academia no município. Câmeras de segurança registraram que o pneu havia sido furado por ele mesmo.

Segundo informações do Ministério Público, o pintor foi sentenciado nesta terça-feira (25) a 40 anos, 10 meses e 18 dias de reclusão, em regime inicial fechado, pelos crimes de estupro, latrocínio e ocultação de cadáver. A defesa poderá recorrer da decisão.

De acordo ainda com as informações, a denúncia contra o homem foi feita em 10 de outubro do ano passado. Além de estuprar e matar Mariana, ele roubou o carro da vítima, a carteira, R$ 110 em espécie, o celular e uma caixa de som. O criminoso está preso desde o dia 25 de setembro e foi transferido por diversas vezes de presídio.

Segundo a Polícia Civil, Alves já havia cumprido pena de 16 anos por roubo, sequestro, extorsão e latrocínio tentado e tinha passagem por estupro. Ele havia deixado a cadeia apenas 30 dias antes de matar a jovem.

Em sua página no Facebook, a mãe da vítima, M.F.B., demonstrou seu sentimento diante da decisão. "Justiça foi feita. Louvado seja Deus. Regime fechado. Obrigada meu Deus", postou.

O CRIME

Na manhã do dia 24 de setembro de 2019, Mariana Forti Bazza desapareceu após sair de uma academia no município de Bariri e aceitar ajuda de Rodrigo Pereira Alves para trocar um pneu murcho. Na ocasião, ela o seguiu até uma chácara do outro lado da rua. Com o celular, ela tirou uma foto do suspeito trocando o pneu de seu carro e enviou para o namorado.

Cerca de uma hora depois, uma câmera de segurança mostrou Alves saindo da chácara dirigindo o carro da jovem, que não foi mais vista. O veículo de Mariana foi encontrado no final da tarde do mesmo dia, no município de Itápolis. A imagem enviada ao namorado da vítima ajudou a polícia a identificar o homem e ele foi preso.

O corpo da estudante foi localizado pela polícia na manhã seguinte, por indicação do suspeito, em um canavial em Cambaratiba, distrito de Ibitinga. Ela estava amordaçada, com os olhos vendados, e tinha faixa enrolada no pescoço. O laudo confirmou a morte por estrangulamento.

Segundo as informações, apesar de revelar onde a jovem estava, Alves nunca confessou participação na morte. Ele teve a prisão preventiva decretada na audiência de custódia e, desde então, permanece em uma unidade para presos que cometem crimes sexuais.

destaques

Bracell realiza operação de trânsito para transporte de grandes peças

O Projeto Star, obra de expansão da Bracell, em Lençóis Paulista, deve receber nesta sexta-feira (27) peças de equipamentos para a nova...

Aos 60 anos, morre Maradona

O site do jornal argentino Clarín acaba de informar que o ex-jogador Diego Armando Maradona faleceu nesta quarta-feira (25), após um mal...

Comércio se prepara para a Black Friday

A segunda data mais movimentada para o comércio está prestes a chegar. No dia 27 de novembro tem a Black Friday, ou...

Cidade recebe melhor jogador do mundo

O beach tennis pode ser definido como uma mistura de tênis, vôlei de praia e frescobol. É considerado simples de se praticar,...

Campanha Papai Noel dos Correios será digital

Na última quarta-feira (18), teve início mais uma edição da campanha Papai Noel dos Correios, que terá algumas mudanças em relação aos...