Plástico nos oceanos pode chegar a 600 milhões de toneladas em 2040

AMEAÇA – Sem destino correto, a quantidade de plástico nos oceanos pode quadruplicar até 2040 (Foto: Ilustração)

Caso não sejam tomadas medidas urgentes e de impactos ambientais e financeiros, o volume de plástico existente no mercado dobrará, o volume anual do produto que entra no oceano subirá de 11 milhões de toneladas, em 2016, para 29 milhões de toneladas, em 2040, e a quantidade nos oceanos quadruplicará, atingindo, no mesmo período, mais de 600 milhões de toneladas.
A projeção foi feita pelo estudo Breaking the Plastic Wave (Quebrando a Onda dos Plásticos, em tradução livre), publicado este mês pela Pew Charitable Trusts e a Systemiq e feito em parceria pela Fundação Ellen MacArthur, Universidade de Oxford, Universidade de Leeds e Common Seas.
Os 29 milhões de toneladas de plástico que poderão entrar nos oceanos em 2040 representarão 100% de emissão de gases de efeito estufa, envolvendo um cenário sem mudanças na cultura ou no comportamento do consumidor. O custo líquido desse vazamento é estimado em US$ 940 bilhões por ano.
Solução prévia
Para a fundação Ellen MacArthur, a solução tem que ser encontrada muito antes que o plástico chegue aos oceanos e a mudança tem que ser em direção a uma economia circular, com a máxima redução do uso do plástico, da coleta e reciclagem, e a substituição do produto sempre que possível, permitindo que, até 2040 o volume que entre nos oceanos caia para 5 milhões de toneladas por ano.
Entre as ações urgentes a serem adotadas pelos países e pela sociedade, a eliminação dos plásticos não necessários, não só removendo os canudos e as sacolas, mas também ampliando modelos de entrega inovadores, que levem os produtos aos clientes sem embalagem ou utilizando embalagens retornáveis e estabelecendo metas ambiciosas para reduzir o uso de plástico virgem.
Com informações: Agência Brasil

destaques