Jovem morto em Macatuba pode ter sido executado por Tribunal do Crime

Corpo da vítima foi encontrado na mata; polícia suspeita que várias pessoas estariam envolvidas no crime

A Polícia Civil investiga um caso de homicídio ocorrido em Macatuba. O corpo da vítima, de apenas 22 anos, foi encontrado nessa terça-feira (27). Vinicius de Almeida Pereira estava desaparecido desde o dia 19.

Segundo informações obtidas pela reportagem de O ECO, paralelemente ao trabalho da polícia, a família começou uma busca independente pelo jovem. Após boatos de que ele havia sido assassinado e seu corpo descartado nas proximidades do lixão municipal, uma área suspeita foi encontrada pelos familiares.

Três buracos rasos foram localizados em uma plantação de cana-de-açúcar, que havia sido parcialmente queimada. Um pedaço de tecido chamuscado, reconhecido pela mãe da vítima como parte de suas vestes, também foi achado no local.

A polícia suspeita que os autores do crime tentaram cavar os buracos para enterrar o corpo, mas não conseguiram porque o solo estava muito duro. Quando a primeira opção deu errado, os criminosos teriam tentado queimar a vítima junto com a cana, o que também não funcionou.

O corpo foi encontrado em uma mata próxima ao local por um amigo da família, que sentiu um cheiro forte e, ao entrar aproximadamente cinco metros na mata, se deparou com o jovem já em processo de decomposição. O corpo estava parcialmente escondido, em meio à terra e galhos secos.

A suspeita é de que o motivo do crime tenha sido dívidas de drogas. Um indivíduo preso por tráfico no último final de semana, foi interrogado e teria dado informações sobre um acerto de contas de um Tribunal do Crime, mas o andamento da investigação não foi divulgado à imprensa.

A Polícia Civil acredita que várias pessoas estariam envolvidas no crime, pois apenas um grupo de pessoas seria capaz de transportar o corpo da área onde os buracos foram encontrados até o local em que foi encontrado.

Uma perícia preliminar constatou que a morte ocorreu por traumatismo cranioencefálico, mas a Polícia Civil aguarda o laudo do IML para determinar a causa da morte.

destaques