Coordenadoria tenta identificar pessoa que arremessou cão de viaduto

Animal sofreu diversos ferimentos e morreu em decorrência de uma hemorragia interna; se identificado responsável pode ser preso

Um cachorro não resistiu aos ferimentos e morreu após ter sido arremessado de um viaduto em Lençóis Paulista. O crime ocorreu por volta das 23h30 do último sábado (24), no quilômetro 299 da Rodovia Marechal Rondon, em frente ao trevo de acesso da Avenida Papa João Paulo II. A denúncia chegou via WhatsApp para a Coordenadoria de Proteção Animal, que fez o resgate por volta da 0h.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, um munícipe que viu o animal caindo enquanto passava de carro pelo viaduto, socorreu o cão e entrou em contato com o serviço municipal. Após o acidente, o cachorro, vira-latas de porte médio, estava com vida, porém, com muita dor, dificuldade para andar e apresentando sangramento pelo órgão genital. Devido a gravidade do caso, ele morreu.

“O médico veterinário que o atendeu confirmou hemorragia interna e trauma no tórax. O cão tinha pequenas escoriações. A princípio, suspeitamos de atropelamento, no entanto, considerando os ferimentos do animal e o relato da testemunha, a hipótese mais provável é que o cão tenha sido jogado”, explica Milena Mileski responsável pela Coordenadoria de Proteção Animal, vinculada à Secretaria de Saúde do município.

A Coordenadoria trabalha para identificar o autor do maus-tratos e já tem relatos de que um veículo suspeito esteve no local na hora do crime. Seria um carro modelo Gol, escuro, que saiu próximo ao local em baixa velocidade. Segundo Milena Mileski, foram solicitadas imagens de câmeras de monitoramento que podem ajudar a identificar o autor da crueldade.

PENA MAIS RÍGIDA

A coordenadora explica que, se identificado o autor, será registrado um Boletim de Ocorrência e encaminhado a Polícia Ambiental. O infrator pode responder com base na nova lei contra maus-tratos de animais, que prevê pena de reclusão, de dois a cinco anos, além de multa e proibição de guarda para casos de abuso, maus-tratos, ferimentos e/ou mutilação contra cães e gatos.

Para combater esse tipo de crime, Milena ressalta a importância das denúncias. “O ideal é que a pessoa tenha fotos ou vídeos comprovando os maus-tratos, pois, muitas vezes, nas visitas, não conseguimos comprovar. A denúncia pode ser feita pelo WhatsApp ou por telefone, ambos pelo número da Coordenadoria de Proteção Animal, que é o (14) 3264-8795”, completa.

destaques