Aumento dos casos de dengue preocupa microrregião

Com 2,4% da população infectada (65 casos confirmados), Borebi já está em situação de endemia

A microrregião de cobertura de O ECO, que inclui Lençóis Paulista, Macatuba, Areiópolis e Borebi, tem registrado aumento de casos de dengue nas últimas semanas. Apesar de os picos de transmissão acontecerem no verão, devido aos fatores climáticos favoráveis à proliferação do mosquito Aedes aegypti, a situação começou a se complicar nos meses de abril e maio, o que já preocupa as autoridades.

A cidade com dados mais alarmantes é Borebi. Com apenas 2.713 habitantes o município já registrou 65 casos positivos neste ano (a Secretaria de Saúde não soube informar a quantidade de casos autóctones e importados), o que representa 2,4% de sua população. Além disso, 60 pessoas aguardam resultado de exames, o que pode aumentar o número de infectados nos próximos dias.

De acordo o secretário de Saúde Reginaldo Cirilo, a situação de Borebi já é considerada uma endemia. No início deste mês, em conjunto com a TV Tem, a cidade realizou um mutirão de limpeza que resultou na retirada de aproximadamente 8 toneladas de entulho e lixo das casas. “O evento foi um sucesso. As secretarias municipais não mediram esforços para eliminar grandes quantidades de recipientes que poderiam se tornar criadouros do Aedes aegypti”, afirma.

Em Lençóis Paulista, a Vigilância Epidemiológica registrou, de janeiro a maio deste ano, 35 casos positivos de dengue, sendo 29 autóctones e seis importados. “Essa é uma grande preocupação e já existe uma transmissão como vem acontecendo em vários municípios da nossa região”, afirma o secretário de Saúde Ricardo Conti Barbeiro, que relata que outras 65 pessoas ainda aguardam resultado de exame e que outras 47 notificações suspeitas deram negativo.

O bairro com mais registros é o Jardim João Paccola, com quatro, seguido por Jardim Itapuã, Centro e Jardim Príncipe, com três casos confirmados cada, respectivamente. “Toda vez que é encontrado um positivo, é feito um bloqueio pela Vigilância Epidemiológica naquele perímetro para que seja feita nebulização e uma ação dos agentes comunitários juntos com os agentes de endemia para identificar possíveis focos de dengue”, detalha o secretário de Saúde.

Em Macatuba, os casos de dengue também seguem a mesma crescente. De acordo com a Secretaria de Saúde, de janeiro a maio deste ano, foram confirmados 34 casos positivos na cidade, sendo 24 autóctones e 10 importados. O bairro com mais infectados é o Centro, com 20 positivos, seguido por Jardim Panorama e Jardim Europa com cinco casos cada, Jardim Bocayuva, com dois positivos, e Vila do Saber e Macatuba VII, com um caso cada.

A secretária de Saúde e Bem-Estar Juciana Lopes explica quais ações estão sendo adotadas para evitar a proliferação. “Temos realizado campanhas de conscientização nas redes sociais, no rádio e também através de carro de som, porque acreditamos que somente assim todos vão fazer a sua parte”, relata a secretária, que afirma que quando um caso é confirmado, também é realizado bloqueio e nebulização para que os criadouros sejam eliminados.

Areiópolis registrou sete casos desde o começo do ano. A Diretoria de Saúde atribui a situação mais controlada em relação às cidades da microrregião ao trabalho de rotina. “Fazemos controle de criadouros através de visitas de rotina em casas. Quando encontrado larva em um local, é colocado veneno para eliminar os focos”, afirma a diretora Izabella Cristina Mastromoro, que diz que uma empresa está sendo contratada para realizar nebulização na cidade.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques