Retorno das aulas presenciais é mantido para fevereiro

Cronograma sofreu alteração depois de posicionamento de Governo do Estado

As atividades escolares em Lençóis Paulista se iniciaram na última segunda-feira (18) e o retorno das aulas presenciais estava previsto para o dia 1 de fevereiro, mas o cronograma foi mudado para o dia 22, depois que o governador João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa realizada na sexta-feira (22), anunciou o adiamento do retorno na rede estadual para o dia 8, devido ao avanço dos casos de Covid-19.

Segundo Railson Rodrigues, secretário da Educação do município, nos primeiros dias da semana passada, palestras foram realizadas para conscientizar os professores sobre prevenção e medidas necessárias a serem tomadas em relação ao novo coronavírus (Covid-19). Ainda não há data definida para o retorno das creches.

Ainda de acordo com Railson Rodrigues, nos primeiros dias desta semana, palestras foram realizadas para conscientizar os professores sobre prevenção e medidas necessárias a serem tomadas em relação ao novo coronavírus (Covid-19). Ainda não há data definida para o retorno das creches.

“Os professores foram orientados tanto na parte pedagógica quanto na psicológica, porque sabemos que os alunos irão retornar em breve depois de um período de isolamento e aulas on-line, portanto, é necessário ter uma preocupação com o psicológico dos alunos e dos educadores”, afirma Rodrigues.

No dia 20 de janeiro, teve início a busca ativa, que são aulas de reforço para os alunos que não conseguiram acompanhar o sistema de ensino EAD (Ensino à Distância) no ano de 2020. Os estudantes da Educação Infantil, Educação Fundamental I e Educação Fundamental II foram chamados pelos professores e já retornaram às escolas.

“Algumas escolas tiveram apenas um aluno por sala, outras tiveram quatro. Esses estudantes da busca ativa terão acompanhamento constante até o dia 12, quando serão avaliados em relação ao seu progresso”, ressalta Rodrigues.

Ele também afirma que a Secretaria da Educação planeja realizar o mesmo trabalho com os alunos que retornarem às aulas em fevereiro. “Iremos programar um retorno gradual, mas antes disso iremos realizar uma avaliação diagnóstica”, diz. A avaliação diagnóstica seria uma avaliação realizada pela Rede Municipal de Ensino para determinar como está o aprendizado dos alunos, individualmente, em relação aos conteúdos administrados no ano de 2020.

A avaliação diagnóstica, de acordo com Rodrigues, é necessária para que os professores tenham conhecimento de como está o aprendizado dos alunos e funcionará como um ponto de partida para que eles saibam lidar com cada estudante de maneira específica, trabalhando os pontos fracos e incentivando os pontos fortes.   

Como as salas de aula não irão funcionar com sua capacidade máxima, e sim com apenas 35% dos estudantes, visando respeitar as recomendações sanitárias e evitar aglomerações, os educadores irão entrar virtualmente em contato com alguns alunos, enquanto lecionam presencialmente para outros de acordo com o cronograma gradual de retorno.

O secretário ressalta que, além de ter realizado um treinamento com a equipe da Rede Municipal de Ensino, a Secretaria da Educação também tomou medidas preventivas para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Entre elas estão o respeito do distanciamento social, do espaçamento das carteiras, o uso de EPI (Equipamentos de Proteção Individual) pelos profissionais da rede e alunos.

A Secretaria também adquiriu 700 aventais plásticos, mil viseiras, 2 mil toucas de rede, 100 termômetros infravermelhos, 200 borrifadores para álcool líquido, mil frascos para álcool em gel, 3 mil máscaras infantis e 70 dispensers de álcool em gel.

destaques