Rede municipal retoma aulas presenciais

Retorno vale para escolas de Lençóis; na microrregião, Macatuba, Areiópolis e Borebi ainda não têm data definida para reabertura

O retorno das aulas presenciais tem sido tema de constante debate durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Muitos acreditam que as aulas devem continuar sendo ministradas de maneira remota, enquanto que outros defendem a reabertura imediata das escolas. A decisão cabe às Secretarias de Educação, que têm adotado estratégias diferentes em cada município.

Em Lençóis Paulista, as escolas estaduais e particulares deram início às atividades presenciais no dia 14 de abril, de forma escalonada. Railson Rodrigues, secretário de Educação do município, destaca que as escolas estaduais estão atendendo apenas os alunos que se declaram carentes, para que eles possam se alimentar nas unidades escolares e retirar os materiais para o estudo.

Na segunda-feira (26), as escolas municipais de Lençóis Paulista começaram a atender, com horário marcado e individualmente, alunos que não possuem equipamentos eletrônicos para acessar as atividades de casa. “Esses alunos são prioridade, porque não conseguem receber as atividades on-line, apenas as impressas, e isso acaba os privando de alguns dispositivos de aprendizado”, explica Rodrigues.

Este atendimento continua até na quarta-feira (7). A partir do dia 10, as escolas retomam as aulas presenciais, de forma escalonada. Rodrigues reforça que as unidades devem seguir o Plano São Paulo, com apenas 33% de ocupação por sala, com os alunos divididos em agrupamentos A, B e C. Presencialmente, as aulas terão duração de quatro horas para a Educação Infantil e de cinco horas para o Ensino Fundamental.

Independentemente do retorno, o secretário de Educação também reforça que as atividades remotas continuam sendo realizadas como complemento. “Além disso, temos as aulas remotas por meio de aplicativos on-line, plataforma de ensino, material impresso para estudos em casa e demais canais de comunicação, alinhados entre professores, alunos e pais”, completa.

Ele ressalta que o retorno do ensino presencial é a primeira etapa para que, futuramente, as aulas das creches possam retornar. “Não há uma data certa para a volta do funcionamento das creches, mas se tudo correr bem com a volta das demais escolas, nós damos um passo à frente para abrir as creches, porque sabemos a importância que elas têm para as famílias do município”, finaliza.

MICRORREGIÃO

Nas demais cidades da microrregião de cobertura de O ECO as aulas seguem apenas no formato on-line. A Secretaria de Educação de Borebi comunica que ainda não há previsão para a volta das aulas presenciais, mas reforça que o município não parou com a educação dos alunos, que estão realizando as atividades de maneira remota.

A secretária de Educação de Areiópolis, Elaine Mendonça, afirma que a cidade também não definiu uma data para o retorno das aulas presenciais, mas está realizando pesquisas com os pais dos alunos e definindo qual a melhor decisão a ser tomada. Por enquanto, as escolas do município seguem com as aulas remotas.

Macatuba realiza, na semana que vem, uma reunião para avaliar a possibilidade de retorno híbrido ou aulas de reforço aos alunos que apresentam dificuldades. “Todas as decisões são tomadas de maneira a preservar a saúde dos alunos, professores e dos responsáveis”, declarou a assessoria de imprensa do município.

destaques