Região de Bauru segue na Fase Amarela

Apesar da estagnação, número de novos casos de Covid-19 vem aumentando em todo o estado de São Paulo; momento é de alerta

Na segunda-feira (30), após um aumento considerável na média móvel de novos casos do novo coronavírus (Covid-19), o Governo de São Paulo anunciou que todo o estado está na Fase 3 (Amarela) do Plano São Paulo, projeto que prevê a retomada gradativa das atividades econômicas nos municípios paulistas durante a pandemia. Na prática, apenas a capital e as regiões de Sorocaba, Campinas e Baixada Santista, que estavam na Fase 4 (Verde), sentirão os efeitos da regressão.

A região administrativa de Bauru, da qual fazem parte Lençóis Paulista, Macatuba e Borebi, permanece na Fase Amarela. Desta forma, a ocupação dos estabelecimentos fica limitada a 40%; o funcionamento é de dez horas por dia, com limite de horário até as 22h; eventos com público em pé continuam proibidos. Vale lembrar que todas as medidas são regulamentadas por decreto em cada município.

“Hoje, temos uma situação bem confortável do número de contaminados, porém, ainda temos uma estrutura invejável de atendimento médico/hospitalar, considerando outras regiões do país. Fazemos exames, testagem em massa e casos suspeitos recebem imediatamente medicamentos, sem contar que há monitoramento permanente da vigilância sanitária e também atendimento por telefone para tirarmos as dúvidas. Ou seja, nossa cidade está cuidando e monitorando o tempo todo, mantendo medicamentos em estoque e estrutura para cuidar dos doentes”, garante o vereador André Paccola Sasso, presidente da Comissão Parlamentar de Acompanhamento do Pacto Regional.

Ainda segundo Sasso, os municípios do Pacto Regional mantêm contato frequente a fim de ajustar diretrizes que têm como objetivo controlar a pandemia. No entanto, ele reforça o papel da população neste processo. “Todos nós sabemos o que precisa ser feito. Acredito que, por um longo tempo, teremos que usar máscara, manter distância segura, usar álcool, lavar as mãos, nos isolarmos e buscarmos ajuda quando sentirmos algum desconforto. Ninguém quer restringir nenhum serviço ou dificultar a vida dos empresários e comerciantes, mas precisamos buscar esse equilíbrio para que tudo funcione com segurança e os negócios sejam mantidos”, finaliza.

destaques