Movimento do comércio recua 0,3% em outubro, diz indicador

Em 12 meses, setor acumula queda de 6,1%; apesar dos números negativos em âmbito nacional, Acilpa vê cenário diferente em Lençóis e região

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, recuou 0,3% em outubro na comparação mensal dessazonalizada. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador apresenta retração de 6,1%. No acumulado do ano a queda é de 7,9% em referência ao mesmo período do ano passado. Já em relação ao mesmo mês de 2019, o desempenho do varejo caiu 8,4%.

Após cinco meses de alta e em linha com as divulgações oficiais do varejo no Brasil, o indicador divulgado pela Boa Vista SCPC voltou a apresentar resultado negativo em outubro, sugerindo uma desaceleração no ritmo de recuperação observado desde maio com os estímulos e as medidas de combate à crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Dadas as adversidades provocadas pela chegada do vírus, reduzindo renda e emprego, e pelo fraco desempenho da atividade econômica, espera-se que a tendência de queda na curva de longo prazo do indicador seja revertida apenas no ano que vem, com a retomada mais clara da atividade e impulsionada pela chegada já esperada de uma vacina eficaz no combate ao coronavírus.

SETORES

Na análise mensal, o segmento de Móveis e Eletrodomésticos apresentou retração de 2,2% em outubro, descontados os efeitos sazonais. Já nos dados sem ajuste sazonal, o segmento intensificou seu ritmo de queda na análise acumulada em 12 meses, registrando variação de -17,5%.

A atividade de Supermercados, Alimentos e Bebidas registrou variação de -0,8% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses foi de 0,5% em relação ao ano anterior.

Já a categoria de Tecidos, Vestuários e Calçados cresceu 2,3% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Nos dados acumulados dos últimos 12 meses houve alta de 5,7%.

Por fim, o segmento de Combustíveis e Lubrificantes apresentou elevação de 1,8% em outubro considerando dados dessazonalizados, enquanto que, na série sem ajuste, a variação acumulada foi de -13,7%.

LENÇÓIS PAULISTA

Apesar de os números em âmbito Brasil ainda serem de queda, em Lençóis Paulista, o cenário é diferente. É o que garante José Antonio Silva, o Neno, presidente da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista), que atribui os resultados aos grandes investimentos da Bracell.

“Nosso comércio sofreu e sofre com a pandemia, mas sofre menos e, certamente, está se recuperando melhor e mais rápido que outras cidades. O comércio de Lençóis Paulista é muito forte, composto por empresários experientes que já lidaram com muita coisa e, devido a essa experiência, conseguiram enfrentar bem a crise”, avalia.

Para Neno, a expectativa para o final de ano é a melhor possível. “Mesmo diante de todos os problemas enfrentados, as projeções feitas pelos comerciantes é que as vendas atinjam números satisfatórios. A campanha de natal da Acilpa foca muito nisso, na recuperação do comércio e na manutenção e geração de empregos”, diz.

Para 2021 a expectativa é a mesma. “A região de Lençóis Paulista sofreu menos e deve se recuperar antes dos impactos da crise causada pela pandemia. Também é importante agradecer o lençoense por apoiar o comércio local e pedir para que esse apoio siga em 2021”, completa Neno.

destaques