Geração de emprego continua em alta na cidade

2022 acumula alta de contratações; entre janeiro e fevereiro cidade criou 314 novas ocupações

Nos últimos anos, Lençóis Paulista vivenciou o melhor período da história na geração de emprego. Em 2020, por exemplo, impulsionada pelas contratações do projeto de expansão da Bracell, a cidade ficou entre as 15 cidades que mais empregaram no país, com quase 4,6 mil vagas criadas. 2021 iniciou com bons resultados, mas o desempenho do segundo semestre resultou no fechamento de 600 ocupações. Os primeiros meses deste ano têm sido positivos, o que indica nova tendência de alta.

Segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), foram gerados 314 novos empregos (2.402 contratações e 2.088 demissões) entre janeiro e fevereiro. Com isso, o total de trabalhadores com vínculo formal nas empresas locais subiu 1,32% em relação a 2021. São 24.139 pessoas empregadas, a maioria na indústria, que engloba 10.061 vagas. Na sequência, aparece o setor de serviços (5.787), seguido por comércio (4.255), construção (2.201) e agropecuária (1.835).

Os dados indicam que os homens preencheram a maioria das vagas abertas no ano, com saldo positivo de 240 empregos (1.743 contratações e 1503 demissões). As mulheres ocuparam 74 postos (659 contratações e 585 demissões). A faixa etária que mais empregou no ano foi entre 30 e 39 anos (87), seguida pelo grupo de até 17 anos (71), de 18 a 24 (62), de 40 a 49 (60), de 50 a 64 (30) e de 25 a 29 (10). Houve déficit apenas na faixa dos 65 anos ou mais (-6).

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Lençóis Paulista, Paulo Ferrari, afirma que a secretaria não considera esses dados como uma recuperação, visto que a desaceleração do nível de emprego já era esperada e contabilizada pelo município devido a vários fatores, como a desmobilização de trabalhadores que atuaram em grandes empreendimentos, como a já citada ampliação da Bracell.

“Enfatizamos que a economia lençoense é caracterizada pela força econômica, fato comprovado por abrigarmos 8.743 empresas e empreendedores ativos no município. Outro fator que nos leva a crer na continuidade do crescimento é a procura por áreas para a instalação de empresas no Distrito Empresarial”, afirma.

Segundo ele, a procura fez a secretaria tomar algumas ações, como a criação de um novo Distrito Empresarial, prevista para acontecer em 2023. “Também há o projeto ‘Instalando Microempreendedor’, que já está aprovado e em fase de implantação. Esse é um projeto que visa instalar os microempreendedores. Abrimos uma área onde faremos lotes de 1 mil metros quadrados, com comercialização com pagamento em até 60 meses, com 12 de carência para a construção. Essas condições são apenas para atender aos microempreendedores”, ressalta.

O secretário acrescenta que a secretaria projeta progresso e estabilidade para o futuro em relação à geração de emprego. “O que vislumbramos para os próximos anos são investimentos de empreendedores que já estão instalados, buscando ampliações em suas atividades e, com isso, investimentos que trarão empregos, estabilidade e, enfim, sustentabilidade econômica”, comenta.

“É fundamental a participação do Poder Público no processo de fomentar o desenvolvimento e a manutenção do emprego, criando um cenário favorável para quem já está estabelecido e para quem quer começar a empreender”, acrescenta o secretário, que ressalta que o empreendedor precisa acreditar no próprio negócio, investindo em tecnologias, com foco na vocação e competência e constituindo alianças corporativas.

Ferrari também destaca que diversos cursos e oficinas são realizados em parcerias com os órgãos de treinamento, como Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) e CMFP (Centro Municipal de Formação Profissional). “Dispomos, ainda, de créditos com juros baixíssimos através do Banco do Povo, para fortalecer o crescimento dos pequenos negócios”, finaliza.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques