Especialista explica sobre vantagens das lâmpadas de LED

Tecnologia oferece menos consumo de energia elétrica com mais eficiência e durabilidade

A eletricidade é algo indispensável para o dia a dia de qualquer pessoa, independentemente da classe social. Mas o custo elevado das tarifas praticadas pelas concessionárias responsáveis pela geração e distribuição de energia elétrica tem pesado cada vez mais no orçamento doméstico. O problema ficou mais evidente nos últimos meses em decorrência da grave crise hídrica.

A menor incidência de chuvas dos últimos 91 anos e o consequente desabastecimento de reservatórios tem comprometido o funcionamento das hidrelétricas e obrigando a utilização de outras fontes mais caras, como a termelétricas, para suprir a demanda de consumo do país. Por isso, a saída é economizar onde for possível. Uma alternativa eficiente é a substituição de lâmpadas.

Tiago Augusto Pacola, proprietário da loja Eletro Centro, confia na eficiência das lâmpadas de LED e recomenda a tecnologia com firmeza e segurança. “As lâmpadas de LED não geram tanto calor em comparação com as incandescentes e fluorescentes. Além disso, têm uma vida útil quatro vezes maior que as fluorescentes e até 25 vezes maior que as incandescentes”, revela.

O empresário relata que a loja de materiais elétricos, localizada no Centro de Lençóis Paulista, comercializa diversas marcas de lâmpadas de LED, como a Osram, que oferece até três anos de garantia. De acordo com ele, a economia de energia pode chegar à casa dos 50% em relação ao consumo de uma lâmpada fluorescente, mas pode variar um pouco de acordo com a marca escolhida.

“Para que possamos entender melhor a diferença entre uma lâmpada e outra, precisamos pensar em eficiência luminosa, ou seja, o quanto uma lâmpada gera de luz por watt de consumo. Existe uma medição chamada fluxo luminoso, que determina a quantidade de luz que uma lâmpada pode gerar. Essa unidade de medição leva o nome de lúmen”, explica o especialista lençoense.

Por esse motivo, ele afirma que não se pode comprar uma lâmpada pensando em potência (watts). É necessário escolher com base em eficiência e fluxo luminoso (lúmens). Como exemplo, Pacola compara o gasto de energia de três casas com 10 lâmpadas ligadas 10 horas por dia durante um mês, cada uma delas com lâmpadas de apenas um tipo: incandescentes, fluorescentes e de LED.

Segundo ele, com base em uma tarifa de R$ 0,92 por kw/h (kilowatt/hora), a primeira casa, com lâmpadas de 60 watts e 720 lúmens, gastaria uma média de R$ 165,60. Na segunda, com lâmpadas de 15 watts e 850 lúmens, o consumo seria de cerca de R$ 41,40. Já na terceira, utilizando como exemplo lâmpadas de LED da Osram, de 8 watts e 806 lúmens, o impacto na conta seria de apenas R$ 22,08.

“É possível notar diferença entre as próprias lâmpadas de LED, que têm marcas mais eficientes que outras. Uma lâmpada de 9 watts, com eficiência de 90 lúmens/w, gasta mais e ilumina da mesma forma que uma lâmpada de 8 watts com eficiência de 101 lúmens/w”, completa Pacola.

As vantagens das lâmpadas de LED não se resumem apenas a fatores como eficiência, durabilidade, custo acessível e economia. O empresário também aponta para a questão da sustentabilidade. “Diferentemente das lâmpadas fluorescentes, as lâmpadas de LED não contêm mercúrio em seu bulbo, por isso, não oferecem riscos de poluição ao meio ambiente”, reforça Tiago Pacola.  


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques