Comércio tem resultado positivo nas vendas de Natal

Mesmo com pandemia, dezembro rendeu bons números para lojistas

Apesar da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), que afetou de forma significativa a economia global, os comerciantes de Lençóis Paulista, de modo geral, revelam que tiveram bons resultados com as vendas de Natal. José Antonio da Silva, o Neno, presidente da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista), afirma que o balanço positivo é reflexo do trabalho que vem sendo realizado desde o mês de outubro.

“Solicitamos à administração municipal o fechamento da Rua Quinze de Novembro e a decoração da área central. Em parceria com a Sicoob Cred-Acilpa, fizemos a tradicional Chegada do Papai Noel e, mesmo com todas as dificuldades, realizamos a campanha “Natal do Amor”. Uma das maiores da região, com sorteio de R$ 25 mil em vales-compras e uma moto zero quilômetro. Um investimento, contando com os impostos e a divulgação, de aproximadamente R$ 50 mil”, afirma.

Sara Palma Andreoli, proprietária da Baiuca, afirma que a venda de brinquedos aumentou muito. “Se fizermos uma análise do período natalino em si, a época foi bastante favorável neste ano. Alguns nichos de produtos aumentaram as vendas, principalmente as decorações de Natal e os brinquedos. Sentimos o crescimento e, como no final de ano toda criança quer um brinquedo, o número foi bem interessante. Em relação ao ano passado, foi até maior”, afirma a proprietária.

O aumento na venda de brinquedos já era esperado, mas o sucesso nas vendas de decoração foi uma novidade. “Dentre todos os anos que trabalhamos com decoração natalina, acredito que este foi o melhor para se vender. Árvores de Natal, adornos, enfeites, tudo o que envolve a época. Acredito que, em função da pandemia, muitas pessoas ficaram em suas próprias casas, e isso fez com que mais gente quisesse arrumar o ambiente de acordo com o clima natalino”, relata Sara.

Para o comércio de roupas, o Natal também foi positivo. Ivandir Nascimento da Silva, gerente da Montreal Magazine, afirma que as vendas superaram as expectativas. “Tivemos um crescimento de 15% em relação a 2019. A pandemia nos deixou receosos. Tivemos um estoque menor do que o esperado, por falta de matéria-prima de alguns itens. Isso dificultou a reposição para dezembro, mas o movimento na loja foi intenso e os clientes conseguiram comprar tranquilamente”, ressalta.

Ao contrário dos setores de brinquedos e roupas, a venda de calçados não teve aumento significativo, como conta Priscila Daiane da Silva Destro, gerente da Yes Boot’s. “O número de vendas ficou abaixo do esperado em relação ao ano passado, mas considerando tudo o que está acontecendo, o resultado foi excelente. Houve uma queda no número de compras de presentes, que normalmente é alto, e o fluxo de clientes não foi tão grande, mas as compras ocorreram de maneira satisfatória”, explica a gerente.

O presidente da Acilpa reforça que o comércio foi afetado pela pandemia, com alguns setores mais impactados que outros. No entanto, a Associação Comercial trabalhou para que as consequências fossem mínimas. “Graças ao trabalho da Acilpa, que criou ações como site de vendas, atendimento nos formatos delivery e drive-thru, palestras, campanhas sazonais, entre outras ações, foi possível mitigar os efeitos causados pela pandemia”, conclui Neno.

destaques