Cerca de 40% das empresas fechadas atribuem crise à pandemia

DRAMA – Levantamento do IBGE revela que comércio foi o setor mais afetado (Foto: Divulgação)

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou na semana passada o resultado da Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19, que revela um dado alarmante: quase 40% das empresas que fecharam as portas até na primeira quinzena de junho foram atingidas diretamente pela crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus.
A Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19, criada para acompanhar os efeitos da pandemia nos setores da indústria, construção, comércio e serviços, foi iniciada no mês passado e deve ter os resultados divulgados quinzenalmente. Segundo o IBGE, o levantamento de dados está sendo feito por meio de aplicação de questionário telefônico com cerca de 2 mil empresas de todo o país.
Na primeira quinzena de junho entre as empresas com atividades encerradas temporária ou definitivamente, 39,4% apontaram como causa as restrições impostas pela pandemia. Na separação por setores, o comércio foi o mais afetado, com 40,9% das empresas fechadas diretamente por conta da crise atual. Em seguida apareceram o setor de serviços (39,4%), a construção (37,0%) e a indústria (35,1%).
Outro dado revelado pelo levantamento é que entre as empresas em atividade, 70% reportaram que a pandemia trouxe impacto geral negativo sobre o negócio, enquanto que apenas 16,2% declararam que o efeito foi pequeno ou inexistente. Por outro lado, 13,6% afirmaram que a pandemia trouxe oportunidades e que teve um efeito positivo sobre a empresa.
“Os dados sinalizam que a Covid-19 impactou mais fortemente segmentos que, para a realização de suas atividades, não podem prescindir do contato pessoal, têm baixa produtividade e são intensivos em trabalho, como os serviços prestados às famílias, onde se incluem atividades como as de bares e restaurantes, e hospedagem; além do setor de construção”, explica Alessandro Pinheiro, coordenador de Pesquisas Estruturais e Especiais em Empresas do IBGE.
PIOR PARA OS PEQUENOS
Ainda de acordo com a pesquisa, para sete em cada dez empresas em atividade, a pandemia implicou diminuição sobre as vendas ou serviços comercializados. O impacto foi maior entre as companhias de pequeno porte, em que 70,9% reportaram redução nas vendas, mas também foi percebido por 62,9% das empresas do porte intermediário e 58,7% das empresas de grande porte.
CRIATIVIDADE
Outro dado apontado é que, diante das restrições impostas pela pandemia, a criatividade aflorou entre os empreendedores que conseguiram se manter. Houve mudanças na oferta de produtos e serviços: 32,9% das empresas relataram ter alterado o método de entrega, incluindo a mudança para serviços on-line, delivery e drive-thru, como tem ocorrido em Lençóis Paulista e região.

destaques