Simulado da prova do Detran registra 54,8 milhões de acessos

Questões presentes na plataforma são as mesmas utilizadas no dia do teste para a obtenção da CNH

O simulado da prova teórica eletrônica disponível no portal do Detran.SP ultrapassou a marca de 54,8 milhões de acessos de usuários que buscam testar seus conhecimentos na obtenção da primeira habilitação. Desde que a ferramenta foi para o ar, em julho de 2012, até setembro de 2021, foram 54.881.705 acessos ao simulado que disponibiliza as mesmas questões aplicadas no dia da prova teórica. Neste ano, de janeiro a setembro, foram feitos 2.664.201 simulados.

O banco de questões do Detran.SP é aberto e acessível a todos os candidatos por meio do simulado. Para responder as questões é necessário que os alunos possuam conhecimentos em direção defensiva, noções de primeiros socorros, legislação de trânsito, mecânica e meio ambiente.

Tal como a prova do Detran.SP para a obtenção da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), o teste é dividido em 30 questões objetivas, de múltipla escolha, com apenas uma resposta correta. As perguntas são distribuídas proporcionalmente ao número de aulas de cada conteúdo no curso teórico. São 12 questões de legislação (incluindo infrações e sinalização), dez de direção defensiva, três de primeiros socorros, três de cidadania e meio ambiente e duas de mecânica básica. Para ser aprovado, é preciso acertar pelo menos 70% das perguntas (ou seja, 21).

“Queremos garantir o conhecimento necessário para capacitar o motorista e consequentemente contribuir para um trânsito mais seguro. A dedicação ao aprendizado teórico, assim como ao das aulas práticas, reflete em um trânsito melhor”, destaca Neto Mascellani, diretor-presidente do Detran.SP.

O candidato pode estudar para a prova teórica de forma digital pelo portal do departamento ou também pelo aplicativo Simulado Detran.SP, disponível pelas plataformas Android e IOS.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques