Tocando tambor para maluco dançar

ALEATÓRIO

Quase em clima de férias, a Câmara Municipal de Lençóis Paulista teve uma sessão sem muitas novidades na noite da última segunda-feira (6). Apesar de uma pilha de pastas de projetos para encaminhamento às comissões internas ou apreciação no plenário, o penúltimo encontro ordinário dos nobres parlamentares neste ano foi mais breve do que o de costume. Mesmo assim, houve espaço para questões aleatórias.

PROPAGANDA

O destaque ficou para a insistente propaganda governista do vereador Leonardo Henrique de Oliveira, o Dudu do Basquete (CIDA), que não perde a oportunidade de enaltecer qualquer tipo de ação que leve o carimbo do Governo Federal. Dessa vez, citou os recursos que têm sido enviados pelo Ministério da Saúde para o Hospital Nossa Senhora da Piedade, como se não fosse esta uma obrigação.

O CARA?

Dudu chegou a dizer que não se recorda de tais repasses consecutivos terem ocorrido em governos anteriores, como se estivesse querendo convencer aos que ouviam que o presidente Jair Bolsonaro (PL) é “o cara”. Parece que esqueceram de avisar o vereador que a pandemia que segue em curso, cujo enfrentamento é objeto das citadas verbas, não é algo que acontece todo ano, como Natal e Dia das Mães.

DO POVO

Mas a colocação não passou despercebida aos ouvidos do vereador Francisco de Assis Naves, o Chico (MDB). Assim que teve a oportunidade, o primeiro-secretário da Mesa Diretora fez questão de retrucar, afirmando que o dinheiro não é de governo de lá ou acolá, mas sim do povo, que deve receber de volta o que paga em impostos. Para Chico Naves, não se pode confundir isso com um favor.

SÉRIO?

E por falar em Dudu do Basquete, o vereador do Cidadania também aproveitou, mais de uma vez, o espaço que lhe foi dado na sessão da segunda-feira para propagandear algo que, em sua concepção, comprovaria a seriedade com que o governo Bolsonaro é visto em países do exterior: a confirmação da instalação de um escritório regional da OMT (Organização Mundial do Turismo) no Brasil.

TURISMO

Citando o anúncio feito na segunda-feira pelo ministro do Turismo Gilson Machado Neto, que, na última quinta-feira (2), em Madri, na Espanha, havia participado da Assembleia Geral do órgão ligado à ONU (Organização das Nações Unidas), Dudu comemorou a notícia e avaliou que o turismo brasileiro se desenvolverá muito a partir de agora em razão do tal escritório confirmado por Machado Neto.

BALANÇA

Se o parlamentar queria falar de turismo e levar à tribuna algo realmente relevante para a população, poderia ter se atentado ao que acontece fora dos grupos de WhatsApp e ter dissertado sobre outra notícia publicada na mesma segunda-feira, essa pelo jornal Folha de S. Paulo, que expôs uma grave preocupação das autoridades sanitárias em relação ao turismo internacional.

POINT

Na matéria publicada pela Folha, Meiruze Sousa Freitas, diretora da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), principal órgão do gênero do país, foi claramente enfática ao dizer que a ausência de um passaporte da vacina contra a Covid-19 para entrar no Brasil pode transformar o país em um destino de férias para pessoas do mundo todo que têm se recusado a receber os imunizantes.

BARATINHO

A consideração da diretora da Anvisa ganha ainda mais peso se considerada a proximidade das comemorações de final de ano, ainda que nenhum evento de grande porte seja mantido pelos governos estaduais e municipais. Soma-se a isso, a forte desvalorização do real em relação a outras moedas, como o dólar e o euro, que tornam o país um destino mais do que atrativo para quem vem de fora.

VARIANTE

Em entrevista concedida ao jornal, a especialista alerta que a falta de uma ação nesse sentido aumenta as incertezas e o risco para a população em meio à pandemia do novo coronavírus. Tudo isso ocorre justamente enquanto no mundo todo, pelo menos nas nações que contam com um governo sério, a preocupação tem sido traçar estratégias para impedir o avanço da variante Ômicron.

CHACOTA

Enquanto isso, em um mundo de fantasias de dar inveja aos mais talentosos ficcionistas, o presidente age para impedir o avanço da pauta, ignorando o fato de sua postura no enfrentamento à pandemia ter sido alvo de incalculáveis críticas e questionamentos, sem contar as constrangedoras chacotas em nível mundial e a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que lhe atribuiu pelo menos nove crimes.

DÉJÀ VU

No último domingo, por exemplo (5), mais uma vez defendeu a não obrigatoriedade da vacinação contra a Covid-19, mesmo com as estatísticas esfregando na cara de todos que o avanço da imunização tirou o país do caos em que se encontrava. Também afirmou que pretende alterar a legislação para que apenas o Governo Federal possa determinar regras para a criação de um passaporte sanitário.

INTIMADA

Mas a vontade do aclamado “mito” não pode ser posta como algo soberano com tantas vidas novamente em risco. Na segunda-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), deu 48 horas para que o governo explique por que o país não tem exigido a comprovação de vacinação contra a Covid-19 de pessoas que desembarcam por aqui pelos aeroportos.

AÇÃO

A determinação foi para que sejam ouvidos representantes dos ministérios da Casa Civil, Infraestrutura, Justiça e Segurança Pública e Saúde. A decisão se baseia em uma ação do partido Rede Sustentabilidade, que tenta obrigar o governo a adotar medidas sanitárias recomendadas pela Anvisa, não só o passaporte da vacina como a quarentena obrigatória para quem chega ao país e aumento da fiscalização.

TAMBOR

Ainda assim, Bolsonaro segue plenamente enaltecido por Dudu e outros vereadores da Casa de Leis de Lençóis Paulista, como o vice-presidente Nardeli da Silva (DEM), que ajuda a propagar o discurso de que o mandatário da República contribuiu muito com a Saúde por destinar aos municípios recursos para a aplicação no setor. Sempre tem gente tocando tambor para maluco dançar. Só nos resta rir para não chorar.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques