Retrospectiva 2021

JANEIRO

O primeiro mês do ano foi marcado pela posse dos prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos em 2020. Em Lençóis Paulista, a cerimônia seguida de sessão para a eleição da presidência da Câmara Municipal teve uma reviravolta. Após a candidatura de Nardeli da Silva (DEM), presidente na legislatura anterior, ser questionada, o cargo ‘caiu no colo’ de Jucimário Cerqueira dos Santos, o Bibaia (PODE).

FEVEREIRO

Em fevereiro, enquanto o país todo dava os primeiros avanços em relação à vacinação contra a Covid-19, a vizinha Macatuba ganhou os holofotes por conta de uma investida da Prefeitura Municipal contra o ex-vice-prefeito Amauri Bornello (PV), acusado de ter se apropriado de uma vacina para aplicar em um de seus filhos. Uma sindicância chegou a ser aberta para apurar o caso. Bornello negou as acusações.

MARÇO

O destaque de março veio da política nacional, com uma série de decisões do STF (Supremo Tribunal Federal) que anularam as condenações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no âmbito da Operação Lava Jato, e o recolocaram com força na corrida eleitoral. No mesmo mês, o ex-juiz Sergio Moro foi considerado parcial em suas decisões no caso do triplex do Guarujá e o processo voltou à estaca zero.

ABRIL

De Brasília também veio o assunto de maior repercussão em abril. No dia 27 daquele mês o Senado instalava a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar possíveis omissões do Governo Federal no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Seis meses depois, com o senador Renan Calheiros (MDB) como relator, a comissão atribuiu nove crimes ao presidente Jair Bolsonaro (PL).

MAIO

Maio foi marcado por algumas articulações que renderam frutos no decorrer do ano. Naquele mês, por exemplo, uma comitiva formada pelo prefeito Anderson Prado de Lima (DEM), pelo vice-prefeito Manoel dos Santos Silva, o Manezinho (PSL), e pelo vereador Bibaia teve a primeira audiência em Brasília visando a liberação de uma escola no Residencial Santa Terezinha, que acabou sendo autorizada há algumas semanas.

JUNHO

A primeira metade do ano terminou com uma polêmica envolvendo o vereador Nardeli, que, após criticar as estratégias de enfrentamento à pandemia, foi rebatido pelo secretário de Saúde Ricardo Conti e por um médico que preferiu não se identificar. Em agosto, um episódio similar ocorreria com o provedor do Hospital Piedade, João Dutra, que chegou ir à Camara Municipal para soltar o verbo contra alguns edis.

JULHO

O mês de julho foi marcado por manifestações contra os vereadores Leonardo Henrique de Oliveira, o Dudu do Basquete (CIDA), e Mirna Adriana Justo (PSDB), que fizeram declarações consideradas homofóbicas em sessão realizada no dia 28 de junho, Dia do Orgulho LGBTQIA+. O caso resultou na abertura de uma Representação no Legislativo, mas os vereadores acabaram inocentados das acusações.

AGOSTO

Com diversos nomes surgindo como possíveis candidatos a deputado estadual no ano que vem, o advogado e ex-vereador Ailton Tipó Laurindo (PODE) procurou O ECO em agosto para colocar fim aos rumores. Na ocasião, o lençoense refutou a possibilidade e garantiu que pretendia seguir apenas se dedicando ao Direito. A decisão abriu caminho para uma candidatura do vice-prefeito Manezinho, outro cotado.

SETEMBRO

O mês da Independência do Brasil foi marcado por diversas manifestações de apoio e repúdio ao presidente Bolsonaro, que mais uma vez virou notícia por conta de ataques incisivos aos ministros do STF, agravando a instabilidade política no país. O episódio rendeu diversas manifestações em defesa da democracia. O mandatário acabou recuando dois dias depois e a tensão entre os Poderes se esfriaram momentaneamente.

OUTUBRO

Só para não perder o costume, Nardeli da Silva também foi destaque em outubro por conta de um debate envolvendo o uso excessivo dos apartes durante as sessões da Câmara Municipal de Lençóis Paulista. Na ocasião, após ser ironizado por alguns colegas e ver o presidente Bibaia perder a compostura, Nardeli chegou ameaçar renunciar ao cargo de vice-presidente, o que acabou cumprindo dois meses depois.

NOVEMBRO

Em novembro o destaque também foi a corrida eleitoral, com a confirmação de algumas pré-candidaturas além daquelas que sempre foram tidas como certas, como a de Lula, Bolsonaro e Ciro Gomes (PDT). Naquele mês, surgiram nomes como Rodrigo Pacheco (PSD), Simone Tebet (MDB), Alessandro Vieira (CIDA) e Luiz Felipe d’Avila (NOVO). Mais adiante Sergio Moro se filiaria ao Podemos com o mesmo intuito.

DEZEMBRO

Por fim, o destaque de dezembro, sem sombra de dúvida, é a movimentação que pode colocar lado a lado na briga pela sucessão ao Palácio do Planalto o ex-presidente Lula e o ex-governador Geraldo Alckmin. Depois de pular fora do ninho tucano por ter sido preterido por lideranças do partido que ajudou a fundar, ele ainda estuda as possibilidades para o próximo ano, mas considera uma aliança com o petista.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques