Institutos publicam primeiras pesquisas eleitorais do ano

DE OLHO…

Em meio às movimentações cada vez mais intensas nos bastidores da política nacional, os aspirantes à sucessão presidencial têm se articulando com suas bases, galgando novos apoios e ensaiando discursos em busca da viabilização de seus projetos de poder. Enquanto isso, o ano mal começou e alguns institutos de pesquisa já foram às ruas de todo o país para medir a popularidade dos presidenciáveis, mas as primeiras pesquisas de intenção de voto de 2022 não apresentaram muitas novidades.

… NOS NÚMEROS

Nessa sexta-feira (14), o Ipespe (Instituto de Pesquisas, Sociais, Políticas e Econômicas) divulgou o resultado de sua primeira pesquisa do ano, que revela que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue liderando com folga, com 44% das intenções de voto. A vantagem se mantém na casa dos 20 pontos percentuais – exatamente 20 pontos – para o presidente Jair Messias Bolsonaro (PL), que contabiliza apoio de 24% do eleitorado entrevistado em sua investida para a reeleição.

SEGUNDO BLOCO

Longe da polarização que tem dado o tom dessa corrida eleitoral desde os primeiros levantamentos, o segundo pelotão de pré-candidatos aparece com o ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro, Sergio Moro (Podemos), com 9%; seguido por Ciro Gomes (PDT), que ficou com 7%; João Doria (PSDB), com 2%; Simone Tebet (MDB), Rodrigo Pacheco (PSD) e Felipe D’Ávila (NOVO), todos com 1%. Os votos brancos e nulos somaram 6%. Outros 7% responderam que não sabiam em quem votar.

UM OU OUTRO

O Ipespe também testou um segundo cenário para o primeiro turno, deixando Sergio Moro fora da disputa e incluindo na lista o senador Alessandro Vieira (CIDA). Nesse caso, o ex-presidente Lula repetiu os 44%; seguido por Bolsonaro, com 25%; Ciro Gomes, com 9%; João Doria, com 3%; Simone Tebet, com 2%; Rodrigo Pacheco, Alessandro Vieira e Felipe D’Ávila com 1%. Brancos e Nulos totalizaram 11%, enquanto que 5% dos entrevistados não souberam responder.

EM ALTA

O instituto também fez diversas simulações de prováveis embates no segundo turno, que revelam que o ex-presidente Lula levaria a melhor sobre qualquer oponente que enfrentasse. A maior vantagem seria sobre o governador de São Paulo, João Doria, 53% a 20% (diferença de 33 pontos). Contra Ciro Gomes, a vantagem seria de 26 pontos (51% a 25%). Contra Bolsonaro, a vantagem seria de 25 pontos (56% a 31%). Já contra Sergio Moro a diferença cairia para 19 pontos (51% a 32%).

EM BAIXA

No caminho inverso, o presidente Bolsonaro seria derrotado por qualquer adversário se as eleições fossem hoje. De acordo com os dados do Ipespe, quem conquistaria a maior vantagem contra o atual mandatário seria Ciro Gomes, que abriria vantagem de nove pontos percentuais, com 43% contra 34% dos votos. João Doria e Sergio moro venceriam com diferença de sete pontos percentuais para Bolsonaro, o governador de São Paulo com 42% a 35%, o ex-juiz com 36% contra 29%.

METODOLOGIA

A pesquisa do Ipespe (antigo Ibope), encomendada pela XP Investimentos, foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-09080/2022. Para a coleta de dados, os funcionários do instituto entrevistaram 1 mil eleitores entre a segunda-feira (10) e a quarta-feira (12) em diversas cidades do país. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Já o índice de confiabilidade é de 95,5%.

QUAEST

Outra pesquisa divulgada nesta semana, a primeira de 2022, mostra uma pequena variação nos percentuais, mas o cenário se mantém a favor do líder petista. O levantamento feito pelo Instituto Quaest, publicado na quarta-feira (12), coloca o ex-presidente Lula na liderança da disputa com 45% das intenções de votos no primeiro turno. O presidente Bolsonaro aparece com 23%; seguido por Sergio Moro, com 9%; Ciro Gomes, com 5%; João Doria, com 3%. e Simone Tebet, com 1%.

COADJUVANTES

Os outros candidatos incluídos no questionário sobre as intenções de voto no primeiro turno, Rodrigo Pacheco e Luiz Felipe D’Ávila, não tiveram votos suficientes para sair do zero. Além disso, 8% dos eleitores entrevistados disseram que votariam em branco ou anulariam o voto se as eleições presidenciais apresentassem apenas os candidatos citados. Outros 4% dos participantes responderam que não saberiam em quem votar se as eleições fossem agora.

TUDO IGUAL

O Instituto Quaest também fez simulações de segundo turno e, como na outra pesquisa, o petista derrotaria todos os demais. Contra Bolsonaro, a vantagem seria de 24 pontos, com 54% contra 30%. contra Sergio Moro, Lula venceria com diferença de 20 pontos, com 50% contra 30%. Contra Ciro Gomes, a vitória seria de 52% a 21%, com vantagem de 31%. Contra João Doria, Lula teria 40 pontos de sobra: 55% a 15%. A maior diferença, de 43 pontos, seria para Rodrigo Pacheco, com 57% contra 14%.

REGISTRO

Bolsonaro também perderia para Moro (36% a 30%) e para Ciro Gomes (39% a 32%). Os demais cenários não foram medidos. A pesquisa do Instituto Quaest, encomendada pelo Banco Genial, foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00075/2022. O levantamento ouviu 2 mil eleitores entre os dias 6 e 9 deste mês. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos; e o nível de confiança é de 95%.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques