Com racha escancarado em prévia, PSDB segue como figurante na corrida eleitoral

PRÉVIAS TUCANAS

A coluna desta semana volta a falar da corrida eleitoral que tem movimentado como nunca os bastidores da política nacional. O destaque dos próximos dias na escalada pela sucessão ao Palácio do Planalto é a disputa interna para a definição do candidato do PSDB. O partido realiza o primeiro turno de suas prévias neste domingo (21), com votação presencial e também por meio de um aplicativo desenvolvido para este fim.

MANO A MANO

Apesar de a disputa ter três candidatos no páreo, é notório que o ex-senador Arthur Virgílio já se conformou com o posto de coadjuvante que foi obrigado a assumir desde o início das movimentações. O mesmo não se pode dizer dos governadores João Doria, de São Paulo, e Eduardo Leite, do Rio Grande do Sul, que travam uma batalha particular pela vitória e nem pensam em jogar a toalha antes do resultado da votação.

FARPAS

O primeiro debate, promovido no dia 19 de outubro pelos jornais Valor Econômico e O Globo, até que teve seus momentos de cordialidade, mas o clima tem esquentado entre Doria e Leite, que já trocaram farpas nos debates do jornal Estadão, na última sexta-feira (12), da Globo News, no domingo (14), e da CNN Brasil, que encerrou o ciclo oficial na quarta-feira (17).

ATAQUE

Mas não é apenas nos debates que ambos se elegeram com alvo. Os embates também têm ocorrido em outras vias. No início do mês, aliados do governador gaúcho conseguiram retirar da votação 92 prefeitos e vice-prefeitos paulistas, apoiadores de Doria. A acusação, acatada pelo partido, foi de adulteração de ficha de filiação com data anterior a 31 de maio, definida como limite para a participação no pleito tucano.

CONTRA-ATAQUE

Como retaliação, o diretório paulista também entrou com uma representação para que 32 filiados dos estados do Rio Grande do Sul, Bahia, Ceará e Minas Gerais, eleitores de Leite, também fossem impedidos de votar pelo mesmo motivo. Porém, a apelação, ao que parece, acabou rejeitada no ninho, já que, até o fechamento desta coluna, nada de relevante a respeito havia sido divulgado pela Comissão de Prévias da legenda.

DIA D

A votação que pode definir, já no primeiro turno, quem será o candidato tucano à Presidência da República começa a meia-noite deste domingo (21), por meio do aplicativo Prévias PSDB. Prefeitos, vice-prefeitos, governadores, vice-governadores, deputados estaduais e federais, senadores, presidente e ex-presidentes da Executiva Nacional podem votar presencialmente a partir das 8h, mas devem se dirigir a Brasília.

45…MIL

De acordo com o próprio PSDB, aproximadamente 45 mil filiados se cadastraram para votar, mas apenas 700 estão aptos a participar do pleito presencial, com urnas eletrônicas oferecidas e auditadas pela Justiça Eleitoral. O evento acontece no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, na capital federal. Tanto pelo aplicativo quanto pelas urnas, a votação se encerra às 15h. O resultado deve ser divulgado antes das 17h.

GRUPOS

Vale lembrar que nas prévias deste ano os votos serão divididos em quatro grupos, cada um com peso de 25% no resultado: filiados sem cargo eletivo – inscritos na legenda antes do dia 31 de maio – no Grupo 1; vereadores e deputados estaduais no Grupo 2; prefeitos e vice-prefeitos no Grupo 3; governadores, vice-governadores, senadores, deputados federais, presidente e ex-presidentes da Executiva Nacional no Grupo 4.

MICRO

A microrregião conta com sete representantes com mandato vigente, seis vereadores no Grupo 2 – Irani Gorgonio e Mirna Justo, de Lençóis Paulista; Carlos Stradioto, João Lima, Magregory Oliveira e Miriani Moreira, de Borebi – e a vice-prefeita borebiense Leila Ayub no Grupo 3. Nas vizinhas Macatuba e Areiópolis, nas quais o PSDB perdeu bastante relevância política nos últimos anos, não há representantes em cargos eletivos.

SIGILO

Em relação ao total de filiados dentro do prazo que permite a participação, não foi possível fazer a consulta, já que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) bloqueou o acesso ao sistema de filiação partidária em agosto, em cumprimento à Lei Geral de Proteção de Dados. Considerando a relação de filiados ativos na época das eleições do ano passado, o número estaria em torno de 500 pessoas, mas, obviamente, nem todos devem votar.

RACHA

Enquanto tentam, a todo custo, convencer seus correligionários que reúnem as condições necessárias para devolver à legenda o protagonismo perdido há tempos no cenário nacional, João Doria e Eduardo Leite evidenciam, para quem quiser enxergar, o enorme racha que existe no partido. Por essas e outras, é muito provável que o escolhido nas prévias tenha que se contentar apenas com essa vitória na corrida eleitoral.

FRÁGIL

Não há como um partido que não consegue chegar a um consenso em torno de um representante convencer que é capaz de tomar para si a bandeira da terceira via. É fato que tudo pode mudar a qualquer momento com o dinamismo da política, mas o cenário atual não dá aos tucanos o poder de quebrar a polarização entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual mandatário, Jair Bolsonaro (ainda sem partido).


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques