Combustíveis fósseis

Caro leitor, tudo bem? No primeiro artigo da coluna, eu havia deixado uma provocação acerca do uso de combustíveis fósseis, mais especificamente do uso do óleo diesel para veículos de pequeno porte no Brasil, mas antes de adentrar neste tema, uma curiosidade: no período pré-revolução industrial, antes do uso de combustíveis fósseis, como o petróleo, cidades como Londres, Boston, Nova Iorque e até mesmo o Rio de Janeiro eram servidas de luminárias à base de óleo de baleia. Atualmente, a indústria de cosméticos faz uso desse composto em batons e demais itens de maquiagem.

Se refletirmos, o uso dos combustíveis fósseis à base de petróleo foi o fiel da balança para salvar uma grande parte da fauna marinha, além de alavancar a indústria e o progresso da humanidade, promovendo o desenvolvimento de novos produtos feitos a partir de polímeros. Diversos são os usos positivos da indústria do petróleo, desde equipamentos médicos, logística, transporte, etc. A humanidade certamente estaria muitos atrasada em sua evolução tecnocientifica sem a descoberta do petróleo.

Hoje em dia, a exploração de petróleo pode ser realizada por meio de plataformas submersíveis em lâminas d’água que podem chegar de 2 a 3 mil metros de profundidade, com poços de 5 mil metros. Toda essa tecnologia não seria suficiente se a ciência geológica, geofísica, engenharia do petróleo, química e outras evoluíssem a patamares de ponta, com uso de softwares de modelamentos de última geração, com reconhecimento e investimento sério de empresas de prospecção.

Nós, brasileiros, temos muito do que nos orgulhar, somos o único país democrático a figurar no rol das nações que detém o “know-how” das maiores empresas de petróleo em águas profundas do mundo. Há quem diga que um poço de petróleo é a “F1 do conhecimento geológico sendo empregado”. Outra frase de bastidores – essa os americanos gostam muito – diz que “A empresa mais lucrativa do mundo é uma empresa de petróleo bem gerida, a segunda mais lucrativa é uma empresa de petróleo mal gerida”. Eles sabem que a demanda só cresce, porém, é um recurso escasso e com valor capaz de causar desastres, seja de maneira direta, como em guerras, golpes e desastres ambientais, ou indireta, associada à emissão de GEE (Gases de Efeito Estufa).

Com relação aos carros a diesel, a ANP (Agência Nacional do Petróleo) informa que, mesmo com o Pré-Sal em pleno uso, teríamos de importar aproximadamente 10% do petróleo apenas para a produção de óleo diesel, o que aumentaria os gastos a todos os consumidores, uma vez que este combustível movimenta a frota de caminhões. O Brasil tem a maior frota de veículos movidos a biocombustível do mundo. A portaria nº 346 do MIC (Ministério da Indústria a Comércio), de 19 de novembro de 1976, proíbe que veículos pequenos (de passeio) utilizem óleo diesel, liberando apenas os veículos com capacidade de carga de 1 tonelada ou 4×4. Com relação ao meio ambiente, o óleo diesel, além de emitir GEE (Gases de Efeito Estufa), emite óxido nitroso que em altas concentrações pode levar a pessoa a óbito.

UMA TENDÊNCIA MUNDIAL

É muito comum vermos no Brasil carros pequenos a diesel, como SUV’s 4×4. Alguém já ouviu dizer que somos a sucata do mundo? Pois bem, há um grande lobby das montadoras em inserir seus modelos a diesel aqui, já que na Europa, Japão e EUA as agências ambientais vêm impondo pesadas cargas tributarias sobre esses veículos e incentivando o uso de carros elétricos e híbridos. Para fugir do prejuízo, essas montadoras (VW, Jeep, GM, Land Rover, Ford, etc.) estão mirando nosso mercado e de outros países emergentes. Lembre-se, caro leitor, a tendência é que se finde o uso até mesmo da gasolina, inserir óleo diesel em carros vai na contramão do mundo.


Nestor Oliveira Filho

NESTOR DE OLIVEIRA FILHO – Residindo em Lençóis Paulista há 10 anos, Nestor de Oliveira Filho é formado em Geologia pela UFPR (Universidade Federal do Paraná) e atua na área prestando consultoria para empresas de diversos segmentos. O objetivo desta coluna é fomentar a curiosidade e estimular a reflexão sobre questões que cercam o meio ambiente, a sustentabilidade e a sociedade.


SIGA O NESTOR NAS REDES SOCIAIS: Facebook | Linkedin

destaques

Plantão da Polícia Civil será transferido para Bauru

A partir da próxima terça-feira (1), o plantão da Polícia Civil de 18 cidades da região, entre elas, Lençóis Paulista, será transferido...

Comerciantes fazem balanço positivo da Black Friday

A Black Friday, ou Sexta-feira Negra, segue aquecendo o comércio de Lençóis Paulista. A campanha, que inaugura a temporada de compras natalinas...

Vagas criadas até setembro representam 15% do mercado formal de Lençóis Paulista

As restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) comprometeram drasticamente a economia do país neste ano. Como reflexo, o nível de...

Prefeitura de Lençóis fará nova testagem em massa em dezembro

No mês de agosto, a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) começou a dar sinais de estabilização. A falsa ideia de que isso...

Bracell realiza operação de trânsito para transporte de grandes peças

O Projeto Star, obra de expansão da Bracell, em Lençóis Paulista, deve receber nesta sexta-feira (27) peças de equipamentos para a nova...