Presente de grego

A construção do ginásio de esportes da Praça Devanir Moretto, entre o Jardim América e o Parque Rondon, em Lençóis Paulista, é um problema que se arrasta por anos, precisamente desde 2014. Por isso, sequer pode ser chamada de uma novela, talvez uma série com diversas temporadas, uma mais complicada do que a outra.

Com a reabertura do crédito do convênio firmado em 2012 com o Governo Federal, autorizada na última segunda-feira (17) pelo Poder Legislativo, a Prefeitura Municipal deve abrir outra licitação visando a contratação de uma empresa para tentar entregar a obra, que deveria ter sido concluída há mais de seis anos, em março de 2015.

De atrasos nos repasses que frearam o andamento da construção a falhas que resultaram na destruição de parte do pouco que havia sido feito, a obra segue sendo empurrada com a barriga, tendo passado pelas duas administrações da ex-prefeita Bel Lorenzetti e chegado à segunda do atual, Anderson Prado de Lima.

Pior do que a demora só mesmo o custo do equipamento esportivo, inicialmente orçado em pouco mais de R$ 1,5 milhão, mas atualmente estimado em mais de R$ 3 milhões em decorrência dos altos reajustes aplicados sobre os materiais de construção desde que o convênio foi firmado.

O ‘pobre’ ginásio, que levará o nome de Edemir Coneglian (Edemirzão), se tornou um verdadeiro presente de grego para o município, porém, independentemente do tamanho do rombo, precisará ser concluído, e rápido, antes que o custo aumente ainda mais.

destaques