Pouco dinheiro para muito mês

Não é novidade para ninguém que está cada vez mais difícil viver com o mínimo de dignidade do Brasil. Quem é pai ou mãe de família – ou pelo menos frequenta minimamente os supermercados e outros estabelecimentos do tipo – tem sentido no bolso o peso da famigerada inflação.

No geral, o acumulado dos últimos meses nem aponta um cenário tão calamitoso. De um ano para cá, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumula alta de 6,10%. Entretanto, a inflação aplicada sobre os itens de primeira necessidade já rompeu a barreira dos 25% no mesmo período.

Mais grave que isso é o fato revelado pelo acompanhamento mensal de preços feito pela reportagem de O ECO, que aponta que, mais uma vez, o custo total da lista com os 50 produtos mais consumidos pelas famílias lençoenses ficou acima do valor do salário mínimo. São R$ 1.122,12 de gasto para R$ 1.100,00 de rendimentos.

O trabalhador brasileiro tem que começar a aprender a fazer mágica para chegar ao final do mês com algum trocado no bolso. É pouco dinheiro para muito mês. Apesar de tudo, é preciso agradecer, já que muitos sequer têm o privilégio de ter um emprego. A coisa não está fácil para ninguém; e vai de mal a pior.

destaques