Incômodo para quem?

A principal matéria da edição deste sábado (18), fala de uma medida um tanto quanto impopular tomada pela Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista: a instalação de radares fixos em diversos pontos da cidade. Criticados pela grande maioria dos motoristas, os dispositivos costumam ser associados à mera investida para captação de receita pela chamada ‘indústria de multas”.

Gostemos ou não, o fato é que radar algum oferece ônus aos condutores que trafegam pelas vias dentro do limite de velocidade. Simples assim. Só é autuado quem cruza com tais dispositivos, nas cidades ou nas rodovias, dirigindo acima do que é permitido pela legislação e, consequentemente, colocando em risco a segurança de pedestres e outros motoristas, além da própria.

Prova contundente disso é a manchete da edição passada, que apresentou um dado alarmante relacionado ao trânsito lençoense: o aumento gradativo no número de acidentes, que vem sendo observado mês a mês pelas autoridades. O principal motivo, segundo a própria Polícia Militar, é o aumento da circulação de veículos resultante da diminuição das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Não há como negar que a presença dos radares em pontos fixos da cidade, ainda que cause certo descontentamento inicial, vai contribuir para inibir os abusos, pelo menos em locais específicos, identificados como pontos de maior incidência de acidentes. O ideal é que instrumentos de controle como este não fossem necessários, mas todos sabem que estamos longe de viver em um mundo ideal.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques