Energia de sobra

O Brasil enfrenta a maior crise hídrica das últimas décadas e o desabastecimento dos reservatórios das principais hidrelétricas, como o lago de Furnas, em Minas Gerais, e o de Ilha Solteira, em São Paulo, ameaça provocar um colapso na geração de energia elétrica, o que, consequentemente, pode ocasionar prejuízos sem precedentes, afetando a produção de alguns setores que movimentam a engrenagem da economia nacional.

Diante do preocupante cenário atual, nunca foi tão clara e urgente a necessidade de investir pesado na diversificação da matriz energética nacional, apostando em outras fontes de geração, como a eólica, a solar e a térmica. Especificamente em relação à última, Lençóis Paulista, apenas com 70 mil habitantes, mas com empresas de grande porte com visão de futuro, caminha para se tornar umas das grandes referências do país.

Com projetos já consolidados e outros prestes a entrar em operação, além do que estão em desenvolvimento, a cidade deve se tornar, em pouco tempo, uma das principais geradoras de energia a partir de usinas termelétricas. A principal matéria desta edição fala do mais recente projeto, o da UTE Barra Grande 2, que receberá investimento de mais de R$ 250 milhões nos próximos três anos.

O empreendimento, que possibilitará um aumento de 30% na capacidade de geração de energia a partir da biomassa resultante do processamento da cana-de-açúcar (bagaço) permitirá que a empresa, vencedora de um dos leilões de comercialização de energia realizados na semana passada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), atenda com tranquilidade a demanda.

Além da Zilor, que também deve colocar em prática projetos similares em suas outras unidades, uma delas a Usina São José, em Macatuba, a cidade deve contar, a partir do mês de agosto, com a subestação de geração de energia da Bracell, que se prepara para entrar em operação. Outro projeto prestes a ser iniciado é o da construção da Usina Termelétrica Cidade do Livro, do Grupo IBS Energy.

A curto prazo, com a energia gerada nestas empresas e comercializada às distribuidoras a partir do SIN (Sistema Interligado Nacional), Lençóis Paulista terá capacidade para abastecer uma população estimada em aproximadamente 5 milhões de habitantes, quase metade de toda a capital do estado, cerca de 14 cidades do tamanho de Bauru ou 450 iguais a Areiópolis.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques