As respostas das urnas

As eleições do último domingo (15), transcorreram dentro do que era esperado, sem a participação de grande parte do eleitorado, temeroso por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) ou seduzido pela comodidade de poder justificar a ausência sem sequer colocar os pés para fora de casa, seja pelo site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ou pelo aplicativo e-Título, que foi utilizado em larga escala.

É possível arriscar a dizer que, mais do que o medo de contrair o temido vírus que assombra o mundo todo há vários meses (apesar das medidas de segurança sanitária adotadas para o pleito), o eleitor brasileiro ainda está demasiadamente descrente com a política e com os políticos, o que é absolutamente compreensível diante do nefasto histórico recente do país.

Além do substancial número de ausências, que chegou perto dos 25% em diversas localidades, inclusive em Lençóis Paulista, uma prova contundente disso é o considerável número de pessoas que se deram ao trabalho de se dirigir às respectivas seções eleitorais apenas para manifestar que não aprovam nenhum dos candidatos que colocaram seus nomes à disposição.

Das urnas, a cada dois anos, cada político pode extrair uma infinidade de respostas, desde que esteja disposto a fazer as perguntas certas. Quem viu um oponente sair vitorioso no último domingo tem que ter em mente que o que define o resultado de uma eleição não é apenas o apoio que um adversário consegue viabilizar, mas a rejeição que ele próprio carrega.

Nesse pleito, como em tantos outros, muitos se preocuparam mais em trabalhar para desconstruir a imagem alheia do que para construir a sua própria. Houve mais empenho em tentar desqualificar o/os oponente/s do que em mostrar suas próprias qualidades. Pelo veredito do povo, que é soberano e incontestável, cada um pagou o preço que mereceu.

Terminadas as eleições, espera-se que os que não tiveram êxito enxerguem o resultado das urnas não como resposta, mas como questionamento. A pergunta que cada um deve se fazer é: Será que estou fazendo o que esperam de mim? Parabéns aos eleitos. Que todos tenham sabedoria, serenidade para exercer os cargos aos quais se dispuseram a concorrer e se lembrem que foram escolhidos pelo povo e para o povo devem trabalhar.

destaques