Quedas constantes de energia geram reclamações em Lençóis

Após Câmara ameaçar ir ao Ministério Público, CPFL se comprometeu a tomar providências até o dia 15 de janeiro

A queda constante de fornecimento de energia elétrica tem sido alvo de muitas reclamações por parte da população de Lençóis Paulista. Nas últimas semanas, com fortes pancadas de chuva atingindo a cidade, o problema se tornou bastante recorrente e muitas pessoas cobram uma atitude da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz), concessionária responsável pelo serviço.

O assunto foi debatido na Câmara Municipal na última segunda-feira (14), data em que, inclusive, boa parte da cidade ficou horas no escuro. A pauta foi levada ao plenário pelo vereador André Paccola Sasso, o Cagarete (DEM), que sugeriu levar o caso ao Ministério Público. De saída da Casa de Leis, já que não concorreu à reeleição, ele espera que a empresa solucione de vez o problema.

“A população tem nos procurado e precisamos dar uma resposta efetiva, porque o problema é antigo. Solicitamos que o jurídico (do Legislativo) reúna todos os requerimentos protocolados nos últimos anos sobre o assunto. Se não houver uma solução, isso será encaminhado ao Ministério Público com um pedido de abertura de Inquérito Civil para que as providências sejam tomadas”, relata.

Para Cagarete, a concessionária não está cumprindo adequadamente seu papel de garantir o fornecimento permanente de energia elétrica ou, quando há interrupção por algum motivo, de assegurar que o reestabelecimento ocorra com rapidez. Segundo o vereador, há relatos de moradores que tiveram que esperar mais de 48 horas pelo atendimento de um chamado, o que é inaceitável.

Diante da repercussão, representantes da CPFL se reuniram com vereadores na quinta-feira (17). Além de Cagarete, participaram Damião Augusto Xavier de Oliveira, o Professor Guto (MDB), Jucimário Cerqueira dos Santos, o Bibaia (PODE), e Mirna Adriana Justo (PSDB). Também foram convidados servidores das secretarias de Negócios Jurídicos e Tecnologia da Informação e dois moradores de áreas afetadas.

No encontro, a consultora de negócios, Orzila Ortega, acompanhada do gerente de operações de campo da CPFL, José Carlos Brizola Jr., se comprometeu, em nome da concessionária, a solucionar os principais problemas até o encerramento da primeira quinzena de janeiro. Nessa sexta-feira (17), foi apresentado aos vereadores um cronograma de manutenção e melhorias.

“De fato, houve um problema que atingiu alguns bairros dois dias seguidos. A principal causa tem sido quedas de galhos e árvores, que, muitas vezes, nem estão do lado da rede. Algumas ações já estão sendo feitas. Elaboramos um cronograma para executar o que for preciso até o dia 15 de janeiro. Vamos verificar a poda, colocar espaçadores e percorrer a rede rural que está com problemas”, revela Orzila Ortega.

De acordo com Cagarete, o prazo pedido pela empresa será respeitado, porém, se as quedas de energia persistirem, o Ministério Público será, de fato, acionado. “Uma questão como essa não pode ficar sem solução. A CPFL se comprometeu em resolver o problema e nos comprometemos a aguardar o prazo. Mas é preciso que haja investimento em equipamentos e manutenção e vamos seguir cobrando”, conclui.

destaques