Pesquisa do Melhores do Ano 2022 vai às ruas neste sábado (21)

Completando 20 anos, premiação acontece no dia 12 de novembro no Clube Esportivo Marimbondo

Após dois anos de interrupção em decorrência da pandemia, o maior prêmio empresarial de Lençóis Paulista e região está de volta. O Melhores do Ano, que está completando 20 anos de existência, já tem data marcada. A tradicional festa, que homenageia comerciantes, empresários, profissionais liberais e personalidades reconhecidos pela população como referência em suas respectivas áreas de atuação, acontece na noite de 12 de novembro, no CEM (Clube Esportivo Marimbondo).

A equipe que atua na produção do Melhores do Ano tem se reunido há cerca de um mês para definir os detalhes da edição 2022. Como de praxe, o primeiro passo para a organização do evento é a realização da pesquisa de opinião pública que vai definir os destaques dos mais variados segmentos. Reformulado, o questionário que será aplicado de porta em porta pela equipe de entrevistadores inclui 120 categorias. A pesquisa vai às ruas a partir deste sábado (21) e deve ser concluída em um mês.

Segundo Breno Corrêa Medola, proprietário de O ECO, para estimular a participação da população na pesquisa, a organização decidiu realizar um sorteio entre todos aqueles que responderem ao questionário. O prêmio é um convite com direito a acompanhante para a festa do Melhores do Ano. Como nas últimas edições, o evento novamente levará ao palco do CEM uma atração de grande expressão no cenário musical nacional. O nome escolhido deve ser divulgado em algumas semanas.

“Depois de dois anos sem poder realizar o prêmio, estamos preparando uma grande festa para celebrar o empenho e a dedicação daqueles que tanto contribuem para o desenvolvimento de Lençóis Paulista. Nas próximas semanas, começaremos a divulgar os detalhes da festa que marca essas duas décadas de história do Melhores do Ano. Por hora, pedimos a colaboração da população com a pesquisa que vai indicar os vencedores. O sorteio dos convites é uma forma de agradecimento”, relata.

A PESQUISA

Responsável pelo levantamento desde a primeira edição, em 2002, quando o prêmio ainda estava sob o controle do Jornal Folha Popular, que depois se fundiu a O ECO, o sociólogo Ney Góes novamente está coordenando a equipe que realiza o trabalho. Segundo ele, a expectativa é de que a aplicação dos questionários se estenda por cerca de 20 dias. Após a etapa de campo, inicia-se a tabulação de dados, que deve levar mais cerca de 10 dias para ser concluída para a liberação da pesquisa.

Segundo Ney Góes, a equipe de coleta de dados é formada por 10 entrevistadores que, nas próximas semanas, devem visitar 10 diferentes regiões de Lençóis Paulista, compostas por bairros agrupados de acordo com a densidade demográfica. De acordo com o cálculo feito com base na população economicamente ativa – de 16 a 64 anos – do município, a equipe vai entrevistar 700 pessoas de diferentes sexos, faixas etárias, graus de instrução e níveis socioeconômicos.

“Utilizamos dados disponibilizados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e pela Fundação Seade para ponderação e inferência estatística da amostra, configurada a partir da população economicamente ativa, que abrange um contingente de cerca de 48 mil pessoas, que são os consumidores potenciais do município”, explica Góes, que revela que a amostragem garante margem de erro de 3,7 pontos percentuais para mais ou para menos, com índice de confiabilidade de 95%.

Para o sociólogo, pela metodologia utilizada, a pesquisa Melhores do Ano é um importante indicador de mercado. “As respostas não são estimuladas, ou seja, não há uma lista pré-definida, o que garante total liberdade para que o entrevistado aponte aquele que realmente considera o melhor em cada área. Se ele não tem opinião formada sobre determinado segmento, pode deixar em branco, pois a pesquisa considera apenas os votos efetivamente atribuídos em cada categoria”, destaca.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques