Deus, amor e devoção

Padre Milton se prepara para deixar Lençóis e agradece pelos anos que passou na cidade

Nos últimos dias, uma notícia abalou a cidade de Lençóis Paulista. O anúncio de que padre Milton José Perretti, extremamente amado pela comunidade, deixaria o município teve grande impacto na população, que chegou a fazer um abaixo-assinado para demonstrar apoio ao pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida e o desejo de que ele permaneça na cidade.

Para aqueles que assistem aos sermões de padre Milton e acompanham seus trabalhos em prol da paróquia e da cidade, é fácil perceber que ele possui um dom. A habilidade de alcançar os fiéis com suas palavras e ações é reconhecida pela população lençoense. Ele se surpreende positivamente com o carinho, afirmando ter aproveitado cada momento de seus nove anos no município. “Foi um caminho de muitas bênçãos. Minha vida em Lençóis Paulista foi muito espirituosa”, enfatiza.

Desde jovem, padre Milton já sabia qual era a sua vocação. Ele conta que, durante a adolescência, sentia um chamado ao sacerdócio. Com uma mãe que se dedicava a catequizar crianças, sempre teve um contato forte com a religião, e sua paixão o fez iniciar um curso de teologia. Interessado no assunto, foi para o seminário de Botucatu, sua cidade natal, onde fez faculdade de filosofia. Mais tarde, cursou teologia em uma faculdade de Marília. 

Sua trajetória como padre começou oficialmente em Avaré, onde foi ordenado e morou durante 20 anos. Foi, então, que a sua história em Lençóis Paulista, onde está há nove anos, teve início. E o padre só possui elogios para a cidade. “A comunidade da paróquia é muito dinâmica, receptiva. É muito fácil estar aqui, o povo é muito acolhedor”, aponta.

Padre Milton ressalta que a população lençoense ‘veste a camisa’ e se mobiliza para participar dos trabalhos pastorais, eventos e reuniões. “São pessoas muito participativas e a cidade é muito boa. O povo lençoense é muito religioso, acolhedor e com um potencial muito grande”, diz.

A decisão de transferência para a Paróquia Nossa Senhora Aparecida, em Botucatu, não foi de padre Milton, mas do arcebispo Dom Maurício Grotto de Camargo. O pároco explica que o bispo possui uma visão ampla da diocese e, portanto, sabe onde cada padre é mais necessário em cada momento. O povo lençoense parece discordar: “O carisma, a humildade, a dedicação, a espiritualidade e o amor do padre Milton pela Igreja, inspiraram a comunidade”, diz um trecho do abaixo-assinado criado para pedir a permanência do sacerdote na cidade. Até o fechamento desta matéria, o documento já continha mais de 5 mil assinaturas.

Durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), muitas pessoas acabaram se agarrando à religião com todas as forças, se apoiando na fé para passar por este período tão difícil. Talvez seja este um dos motivos para a saída de padre Milton, durante este momento de incertezas, estar sendo tão sentida pela população. O pároco, que conquistou a cidade com suas programações virtuais durante a quarentena, sempre levou mensagens de esperança e amor ao município.

“Nós já fizemos lives para arrecadar alimentos para a população carente, para ajudar pessoas doentes, também fizemos shows virtuais com música. A pandemia evidenciou a importância da utilização destes meios remotos de comunicação. As redes sociais permitem que as orações cheguem nas pessoas que estão longe”, pontua.

Sobre seu período na cidade, que ainda não se encerrou, Padre Milton só tem a agradecer. “Aqui, eu me sinto muito bem. Fiquei surpreso pelo carinho que a população demonstrou por mim, não apenas agora, mas desde que cheguei à cidade. Só tenho a agradecer tamanha expressão de amor”, finaliza o religioso, que permanece em Lençóis Paulista até o final deste mês, a menos que a campanha “Fica Padre Milton” surta efeito.

destaques