Conselho Municipal Sobre Drogas conscientiza sobre o perigo dos vícios

Órgão realiza trabalho de orientação em parceria com escolas do município

Criado em 2014 com o objetivo de promover a conscientização das pessoas a respeito dos perigos do consumo de drogas, o Comad (Conselho Municipal Sobre Drogas) de Lençóis Paulista é formado por membros da sociedade civil e representantes do poder público, que atuam em diversas frentes para combater um mal cada vez mais presente no cotidiano.

Danieli Roza, presidente do Comad, explica que o órgão realiza reuniões mensais e age sempre em busca de informações que auxiliem no combate aos vícios. “É um trabalho preventivo. Esperamos conseguir mostrar para as crianças e adolescentes, principalmente, que eles podem buscar prazer e felicidade em outros recursos que não sejam as drogas”, ressalta.

Recentemente, com base em dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Governo do Estado de São Paulo, O ECO noticiou que as ocorrências envolvendo tráfico de drogas vêm diminuindo em Lençóis Paulista, porém, apesar da tendência de queda observada nas estatísticas criminais, o consumo de substâncias entorpecentes ainda é uma grande preocupação, principalmente em relação aos jovens.

“Apesar dessa queda geral, nós notamos um aumento no envolvimento das crianças e adolescentes em relação às drogas. O vício é um problema de todos, independentemente das idades, mas nos preocupa a geração mais nova se envolvendo com os entorpecentes, porque isso causa prejuízos sérios em relação à aprendizagem, estudos e profissionalização”, afirma.

E não são só as drogas ilícitas que preocupam. Segundo a presidente do Comad, também tem aumentado o consumo de medicamentos e substâncias legalizadas, apesar de a venda ser proibida para menores de idade, como o álcool e o tabaco, este, principalmente por conta do narguilé, muito comum entre os jovens e comprovadamente tão prejudicial à saúde quanto o cigarro comum.

“É preciso que os responsáveis conversem com os jovens desde cedo e que as escolas continuem realizando trabalhos de conscientização, para que problemas maiores sejam evitados no futuro”, reforça Danieli, que conta que o conselho está buscando realizar campanhas para mostrar o perigo da droga, principalmente durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Quem é dependente não para de usar drogas por causa da pandemia. Os adolescentes estão saindo de suas casas de máscara, se reunindo em aglomerações e dividindo narguilé, que passa de boca em boca, com risco de contaminação da doença. As pessoas precisam entender a gravidade disso e parar de normalizar”, completa a presidente do Comad.


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo inde-pendente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques