Eu, com Jesus, no colo da Mãe da Piedade

Neste ano completamos 163 anos da Festa da Padroeira de nossa querida Lençóis Paulista, cidade que foi consagrada a Nossa Senhora da Piedade. Há exatamente dois anos e sete meses estou à frente do nosso belo Santuário dedicado à Virgem da Piedade.

Desde março de 2020 estamos enfrentando esta pandemia. Por duas vezes precisamos fechar nossas igrejas e foram momentos de dores e tristezas para toda nossa comunidade. Neste período, tivemos que nos reinventar com celebrações, cursos, orações on-line. Fomos superando a cada momento.

Em alguns momentos chegou a ser incompreensível ver as igrejas fechadas com toda a segurança e protocolos seguidos e ver outros estabelecimentos abertos. Mas, na fé fomos e estamos superando, procurando dar atenção a todos, em particular às famílias que tiveram seus entes enfermos e às famílias que perderam seus entes.

Procuramos ajudar as famílias necessitadas doando cestas básicas ou ajudando no que era possível ao nosso alcance. E estamos em obediência às normas sanitárias, bem como seguindo as regras de nossa Arquidiocese, sempre procurando superar a cada dia, reinventando nossa catequese, cursos e celebrações.

O tema da nossa festa neste ano “Eu, com Jesus, no colo da Mãe da Piedade”, é um convite a cada um de nós, lençoenses, se lançar no colo da Mãe da Piedade. Maria acolheu Jesus em seus braços quando ele nasceu e morreu. E, nos braços de Maria, Jesus nos foi apresentado como nosso salvador.

Percebi ainda mais que a fé não é sentir, é seguir. Não importa a situação em que estejamos. E acredito que a humanidade precisa voltar a Deus ainda mais, pois o homem tirou Deus do centro de suas vidas e quis se colocar no lugar. Podemos perceber com esta pandemia que não somos nada. Um vírus invisível parou o mundo.

Ou nós nos voltamos a Deus e seguimos seus passos ou iremos sofrer muito ainda. Pandemia não é castigo de Deus, pois ele nos ama. Sofremos e nos alegramos conforme nossas atitudes. Todas as nossas escolhas têm consequência, sejam elas boas ou não.

Aparentemente, estamos chegando ao fim deste deserto chamado pandemia. E o Senhor Jesus, nos dando Maria como mãe, quis nos colocar no colo de sua mãe para que sejamos acolhidos por ela. Maria, sendo mãe, nos acolhe com nossos sofrimentos, pois como consoladora que é, quer passar a mão em nossas feridas e com a unção do amor nos dar a cura que é seu filho Jesus.

Colocar-se no colo de Maria é deixar que ela cure as nossas dores e enfermidades da alma. Ela é mãe que sustenta as nossas dores nesses vales de lágrimas, como rezamos na Salve Rainha.

O anjo Gabriel, quando anunciou a Maria, disse “Ave, cheia de graça, o senhor é contigo” (Lucas 1, 28). Expressou Santo Agostinho que a graça é o próprio Jesus, ou seja, Maria é cheia de Deus, pois Jesus é Deus Filho, ela é repleta do senhor.

A imagem da Senhora da Piedade nos traz uma espiritualidade cristológica, pois Cristo venceu a morte. Então, pelo colo de Maria nos veio a salvação, Jesus Cristo. E estando com ele no colo da Mãe da Piedade podemos aprender a seguir, a imitar e, ao mesmo tempo, adorar e se entregar a ele em seu projeto salvador.

Que a Senhora da Piedade possa nos acolher em seus braços, nos levando a sua plena consolação, que é seu filho Jesus, e que perante as cruzes da vida não adiemos nos lançar em seu colo com seu filho Jesus, na certeza que, por mais que tenhamos cruzes, a vitória é certa para aqueles que têm Maria e Jesus.


PE. ADAUTO JOSÉ MARTINS – Pároco e reitor do Santuário Nossa Senhora da Piedade


A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade.

Valorize o jornalismo profissional. Fuja das Fake News. Clique aqui e assine O ECO!

destaques