Atividades físicas seguem com restrições na região
Descumprimento de medidas preventivas pode resultar em multa de pelo menos R$ 3 mil
Atividades físicas seguem com restrições na região
CONTRA A PANDEMIA - Uso de máscara facial é obrigatório durante prática esportiva (Foto: Vitor Rodrigues/O ECO)
Depois de quatro meses de quarentena, que foi instituída no estado de São Paulo no dia 24 de março, a flexibilização das restrições impostas pelo Plano São Paulo tem levado moradores de Lençóis Paulista e região a retomarem, aos poucos, a prática de exercícios físicos ao ar livre, em clubes esportivos e academias. Apesar de liberada, cada categoria tem exigências que devem ser cumpridas como medida de conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19) na cidade e sob risco de multa.
Com base no último decreto publicado pela Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, as atividades ao ar livre, sejam elas em espaços públicos abertos ou nas áreas rurais, podem ser feitas desde que não haja contato físico, aglomeração e com respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas. O uso de máscara é obrigatório.
Academias e centros de atividades físicas precisam de cuidados redobrados. Segundo o secretário de Negócios Jurídicos da Prefeitura Municipal, Rodrigo Fávaro, na cidade esses locais podem funcionar somente para atender pessoas em tratamento de saúde e com prescrição médica. “Neste caso é obrigatória a apresentação de atestado médico específico e atualizado para a atividade durante a pandemia do coronavírus, com referência à impossibilidade de suspensão do tratamento durante a quarentena”, diz.
Com a autorização médica, o responsável pela academia deve organizar o espaço para manter a distância mínima de 1,5 metro entre as pessoas, destinar um horário especial para aqueles com 60 anos ou mais, de preferência na parte da manhã, disponibilizar álcool em gel em todos os ambientes, tanto para uso pessoal quanto para  limpeza dos aparelhos antes e após a realização das atividades. A máscara também é obrigatória.
Ressalvas no exercício ficam com a modalidade circuito que são aquelas que adotam o compartilhamento de equipamentos, como cordas, colchonetes, barras e pesos. Todas são proibidas.
Quanto à prática esportiva realizada em clubes, mesmo ao ar livre, o decreto municipal aponta que deve haver distanciamento, uso de máscara, disponibilidade de álcool em gel e, como para locais fechados, está proibida a modalidade circuito. O horário de atendimento ao público deve ser reduzido a, no máximo, quatro horas ininterruptas. “Academias, saunas, vestiários esportivos, salões e locais de confraternização permanecem proibidos”, pontua o secretário de Negócios Jurídicos.
NA PRÁTICA
Tanto nas redes sociais quanto nas ruas da cidade é possível flagrar o descumprimento das medidas que evitam o contágio pelo novo coronavírus. Levantamento feito pela reportagem de O ECO em três academias da cidade, aponta que não estão sendo exigidos os atestados médicos para a prática esportiva, como determina o decreto vigente. Os locais informaram apenas que funcionam com número reduzido de alunos por conta da pandemia.
Segundo Fávaro, quem insistir no descumprimento pode sentir no bolso. “Em caso de descumprimento de medidas de prevenção de contágio pelo novo coronavírus, fixadas pelo Executivo Municipal no âmbito de Lençóis Paulista, fica o infrator sujeito a multa diária de R$ 3 mil, dobrada a cada dia de desobediência, nos demais casos previstos neste decreto”, relata o secretário, que ressalta que pode haver mudança de acordo com a classificação da região no Plano São Paulo.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia