Prefeitura decreta estado de calamidade pública
Decreto foi expedido ontem, após a cidade confirmar o primeiro caso de coronavírus
Prefeitura decreta estado de calamidade pública
JAÚ - Cidade está em estado de calamidade pública; decreto foi expedido após confirmação do primeiro caso de Covid-19 (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Jahu, por meio do Decreto 7.683, de 02 de abril de 2020, decretou estado de calamidade pública no Município para enfrentamento da pandemia decorrente do Covid-19 (coronavírus).

“Além das medidas restritivas tomadas nos últimos dias, decretamos estado de calamidade pública pelo fato da confirmação do primeiro caso oficial confirmado de Coronavírus na cidade. Também tivemos mais um óbito suspeito. É muito importante que todos respeitem a quarentena. Infelizmente, nos últimos dias, percebemos um aumento no número de pessoas desrespeitando as medidas restritivas. Peço a colaboração de todos vocês para enfrentarmos juntos esse momento difícil”, reforça o prefeito Rafael Agostini.

Ainda conforme o prefeito, a situação não está pior devido as medidas restritivas tomadas nas últimas semanas. “Além desse caso confirmado, temos mais de 30 exames aguardando resultado do Instituto Adolfo Lutz, que está com uma demanda reprimida com mais de 12 mil exames aguardando resultado. A Prefeitura de Jahu está tomando providências: compramos 300 testes rápidos e estamos trabalhando em parceria com a Santa Casa para ampliar os nossos leitos de UTI. Estamos com dificuldade, assim como o mundo inteiro, para adquirir equipamentos e insumos nesse momento, pois está em falta. A única estratégia eficaz para combater o Coronavírus é o isolamento. As cidades do mundo que entraram em sistema de isolamento enquanto a situação ainda estava menos preocupante tiveram resultados melhores. E nós tomamos essas medidas pensando em preservar a vida das pessoas”.

O nível de transmissibilidade do Coronavírus é muito alto. “Se apenas cinco por cento da população jauense for infectada, teremos, pelo menos, cerca de 350 casos graves. Já não temos leitos para atender todos esses casos. Estamos tentando ampliar esses leitos, mas os materiais e equipamentos estão em falta no mundo todo. Esses são números embasados em testes científicos de especialistas da nossa equipe, e que seguem padrões da Organização Mundial de Saúde. Estamos trabalhando muito para enfrentar esse desafio, mas precisamos que a população permaneça em casa, pois, se a situação voltar à normalidade, existe um risco de mais da metade dos jauenses se infectarem ”, afirma o prefeito.

comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia