Tempestade deixa Botucatu em estado de Calamidade Pública
Diversas famílias estão desabrigadas e desalojadas; Fundo Social arrecada doações
Tempestade deixa Botucatu em estado de Calamidade Pública
ESTRAGO - Tempestade desta madrugada deixou rastro de destruição em toda a cidade (Foto: Divulgação)
Após uma forte tempestade ocorrida na madrugada desta segunda-feira (10), o prefeito de Botucatu, Mário Pardini (PSDB), decretou Estado de Calamidade Pública. A chuva, que começou por volta das 3h, deixou um rastro de destruição na cidade, que está mobilizada em decorrência do desastre. Não há informação precisa sobre o número de pessoas atingidas.
Segundo a Defesa Civil da cidade, o volume de chuva acumulado em poucas horas foi de cerca de 122 milímetros. Foram registrados mais de 40 pontos de alagamento em toda a cidade, além de desmoronamentos de casas, quedas de árvores e muros e diversos danos nas redes de energia, telefone e internet. Pontes e ruas foram destruídas e dezenas de carros acabaram levados pela enxurrada.
A Rodovia Marechal Rondon (SP-300) foi interditada nos dois sentidos entre os quilômetros 236 a 249, com outros pontos de interdição parcial até o quilômetro devido a uma grande quantidade de lama e pedras invadiu a rodovia. Em alguns pontos, crateras se abriram no asfalto. O trânsito foi desviado pela João Hipólito Martins (SP-209), em Botucatu, e pela Rodovia Lázaro Cordeiro de Campos (SP-147), em Bofete.
AJUDA ÀS FAMÍLIAS
Diversas famílias desabrigadas e desalojadas estão sendo encaminhadas para o Ginásio Municipal Governador Mário Covas.  O Fundo Social de Solidariedade de Botucatu está recebendo doações de roupas, mantimentos, produtos de higiene, roupas de cama, móveis e colchões. As entregas podem ser feitas na Rua General Teles, 1434, no Centro de Botucatu. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (14) 3811-1524.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia