Construção civil puxa nova alta de emprego em Lençóis
Com desempenho de novembro, cidade acumula mais de 1,5 mil vagas abertas em 2019
Construção civil puxa nova alta de emprego em Lençóis
AQUECIDA - Construção civil liderou a geração de emprego em novembro (Foto: Arquivo/O ECO)
O nível de emprego formal se manteve em alta em novembro e Lençóis Paulista já acumula saldo positivo de mais de 1,5 mil postos de trabalho em 2019, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados, divulgados na última semana pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, apontam superávit de 242 vagas (922 contratações e 680 demissões) no mês, com destaque para a construção civil, comércio e indústria de transformação.
Mantendo a tendência de crescimento observada nos últimos meses, chegando ao quinto mês consecutivo de alta, a construção civil registrou saldo positivo de 148 postos de trabalho (248 contratações e 100 demissões) no mês passado. O resultado apurado colocou o setor no topo do ranking de geração de emprego pela segunda vez neste ano - em março o segmento liderou a lista com superávit de 157 vagas (232 contratações e 75 demissões).
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, André Paccola Sasso, além da estreita ligação com as obras do projeto de implantação da nova unidade de produção da Bracell, que teve a parte de construção civil iniciada recentemente, os dados referentes ao setor sugerem, também, um reaquecimento do segmento imobiliário, que tem acompanhado o bom momento da economia local.
“Além das contratações relacionadas diretamente ao projeto de ampliação da Bracell, também observamos as movimentações que estão ligadas à adequação da estrutura para receber as empresas que estão chegando na cidade. A partir de janeiro, muitas empreiteiras começam a prestar serviços no empreendimento e já estão se instalando por aqui. Paralelamente a isso, o mercado imobiliário também tem sofrido impacto positivo e isso reflete em geração de emprego”, ressalta.
DEMAIS SETORES
O segundo melhor desempenho de novembro foi do comércio, com saldo positivo de 86 ocupações (241 contratações e 155 demissões). Em seguida apareceu a indústria de transformação, com 49 novos empregos (170 contratações e 121 demissões). O setor de serviços sofreu leve desaceleração, mas continuou em alta, com a criação de 10 vagas (195 contratações e 185 demissões). Já a indústria extrativa mineral registrou crescimento de duas vagas (cinco contratações e três demissões).
O índice só não foi mais acentuado por conta da baixa na agropecuária, que segue alternando meses de bom e mau desempenho ao longo do ano e novamente registrou uma queda expressiva, com 52 postos de trabalho fechados (62 contratações e 114 demissões) no período. A administração pública, que tem menos impacto no resultado global, também encerrou no vermelho, com saldo negativo de uma vaga (uma contratação e duas demissões).
ACUMULADO
Com o resultado apurado em novembro, Lençóis Paulista agora acumula superávit de 1.542 ocupações (8.236 contratações e 6.694 demissões) em 2019. Em alta desde o primeiro trimestre do ano, a indústria de transformação responde por mais da metade das vagas abertas, com saldo positivo de 773 postos de trabalho (2.260 contratações e 1.487 demissões).
O setor de serviços aparece em segundo lugar, com 428 empregos criados (2.228 contratações e 1.800 demissões); seguido pela construção civil, com alta de 288 vagas (1.362 contratações e 1.074 demissões); administração pública, com 74 novas ocupações (113 contratações e 39 demissões); e a indústria extrativa mineral, com alta de seis postos de trabalho (20 contratações e 14 demissões).
Apesar dos bons desempenhos dos últimos meses, o comércio ainda mantém saldo negativo no ano, agora com 21 ocupações fechadas (1.643 contratações e 1.664 demissões). Por conta do resultado ruim registrado em novembro, a agropecuária também passou para a parte de baixo da lista, com déficit de seis vagas até o momento (609 contratações e 615 demissões).
SÉRIE HISTÓRICA
Ainda sem a contabilização dos dados referentes a dezembro, que devem ser divulgados apenas na segunda metade de janeiro, o desempenho de 2019 já é o melhor dos últimos 12 anos e o terceiro melhor desde o início da série histórica, em 2003. O melhor desempenho da geração de emprego no mercado formal até aqui foi registrado em 2007, que fechou com alta de 1.877 ocupações (15.420 contratações e 13.543 demissões). O segundo lugar é de 2005, que registrou superávit de 1.806 vagas (12.245 contratações e 10.439 demissões).
Mesmo que a expectativa seja de superar o índice histórico já no fechamento deste ano, o secretário André Paccola Sasso destaca que as melhores perspectivas são para os próximos meses. “Dezembro também deve fechar com números positivos, mas muitas empresas já informaram que pretendem iniciar as contratações a partir de janeiro e fevereiro. Por isso, acredito que os melhores resultados serão observados no início do ano que vem. A expectativa é que em maio as obras da Bracell atinjam o pico de contratações. Veremos algo jamais visto na cidade”, conclui.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2020 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia