Emprego se mantém em alta e atinge melhor índice em oito anos
De janeiro a setembro foram criados 966 postos de trabalho; destaques são setor de serviços e indústria de transformação
Emprego se mantém em alta e atinge melhor índice em oito anos
BOM MOMENTO - Indústria de transformação responde por mais da metade das vagas abertas neste ano (Foto: Divulgação)
Lençóis Paulista está perto de superar uma marca que não era atingida há oito anos no nível de emprego formal. De acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados nessa quinta-feira (17) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, em setembro a cidade criou 86 novos empregos com Carteira de Trabalho assinada, elevando o saldo positivo para 966 no ano. Caso a expectativa de alta se mantenha, já neste mês o índice deve ultrapassar a barreira de mil vagas abertas, o que não acontece desde 2011.
De acordo com levantamento feito pela reportagem do ECO, em 2011, em meio a um momento de significativa recuperação da economia, a cidade fechou o ano com superávit de 1.066 vagas (10.883 contratações e 9.817 demissões). De lá para cá, apenas três anos registraram bons resultados, mas nenhum deles perto da marca anterior. Em 2012 foram criados 893 postos de trabalho (10.540 contratações e 9.647 demissões). No ano seguinte foram abertas 388 novas vagas (11.162 contratações e 10.774 demissões). Já em 2017 a alta foi de 504 empregos (7.673 contratações e 7.169 demissões).
Nos demais anos, castigado por momentos de instabilidade econômica - e política - o mercado formal fechou no vermelho. O pior desempenho foi registrado em 2016, quando foram fechados 970 postos de trabalho (7.678 contratações e 8.648 demissões). Em 2015 o saldo negativo foi de 801 vagas (8.356 contratações e 9.157 demissões). Em 2014 o déficit foi de 326 empregos (10.260 contratações e 10.586 demissões). No ano passado a queda foi menos significativa, com 64 ocupações perdidas no mercado formal (7.296 contratações e 7.360 demissões).
Para o secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura Municipal de Lençóis Paulista, André Paccola Sasso, os números atuais comprovam o que vem sendo comentado e observado neste ano, visto que a cidade acumula saldo positivo em oito dos nove meses apurados até aqui. “Lençóis Paulista vive um momento único de transformação e só temos que nos sentir otimistas em relação ao futuro. Temos observado desde o início do ano o aumento da procura por mão de obra. Até dezembro esperamos superar muito essa marca”, comenta.
Até aqui, no acumulado de janeiro a setembro, segundo o Caged, o superávit de 966 vagas (6.336 contratações e 5.370 demissões) se deve, principalmente, ao desempenho de duas áreas que estão bastante em alta, o setor de serviços e a indústria de transformação. A indústria de transformação acumula saldo positivo de 532 empregos (1.712 contratações se 1.180 demissões). Já o setor de serviços criou 405, novos postos de trabalho (1.840 contratações e 1.435 demissões).
Setor de serviços e indústria de transformação puxam alta do mês
A exemplo do que vem ocorrendo na maioria dos meses deste ano, os destaques de setembro, segundo os dados do Caged, foram o setor de serviços e a indústria de transformação, que puxaram a alta e contribuíram para o saldo positivo de 86 empregos com Carteira de Trabalho assinada (705 contratações e 619 demissões), que elevou o superávit para 966 vagas em 2019 (6.336 contratações e 5.370 demissões). Em agosto, a alta havia sido de 149 empregos (627 contratações e 478 demissões), também com destaque as duas áreas, quer encerraram o mês criando 62 e 60 empregos.
No mês passado, o setor de serviços criou 65 empregos (221 contratações e 156 demissões). Já a indústria de transformação fechou o mês com 33 vagas a mais (227 contratações e 194 demissões). Construção civil, com saldo de cinco empregos (76 contratações e 71 demissões); a indústria extrativa mineral, com duas vagas abertas (cinco contratações e três demissões) e a administração pública, também com alta de dois postos de trabalho (sete contratações e cinco demissões), também contribuíram para o resultado.
Na contramão do momento de visível aquecimento no mercado de trabalho, o comércio e a agropecuária, dois importantes setores, registraram déficit de emprego em setembro. O comércio fechou 16 vagas no período (143 contratações e 159 demissões). Já a agropecuária perdeu cinco postos de trabalho (26 contratações e 31 demissões). No acumulado do ano, inclusive, o comércio aparece como o único setor da economia local com saldo negativo, com baixa de 160 empregos (1.195 contratações e 1.355 demissões).
Cerca de 1,3 mil pessoas devem ser contratadas nos próximos dias
O desempenho até agora já supera a média dos últimos anos, mas o nível de emprego pode bater recorde em Lençóis Paulista, já que, nos próximos dias, cerca de 1,3 mil trabalhadores devem ser contratados por duas empresas que estão prestando serviço na parte de construção civil nas obras de ampliação da Bracell. A informação foi confirmada à reportagem pelo secretário de Desenvolvimento, André Paccola Sasso.
A empresa, aliás, deve realizar uma reunião na segunda-feira (21) para apresentar aos prefeitos e secretários da região a plataforma criada para receber os dados dos cadastramentos de desempregados dos municípios. Apenas em Lençóis Paulista, mais de 2 mil pessoas compareceram para o mutirão realizado no início do mês. O objetivo é fornecer dados atualizados sobre a mão de obra local.
“O momento é único. Estamos observando a empregabilidade crescer e isso é apenas o começo. Um dado bem interessante, que nos deixa ainda mais otimistas, é que neste ano já registramos 422 contratações de pessoas para o primeiro emprego, 44 apenas neste mês. Ficamos felizes de ver pessoas sendo recolocadas no mercado e também por aquelas que estão chegando, se qualificando e fazendo algo diferente”, finaliza Sasso.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia