Mãe cria campanha para tratamento de filho com paralisia cerebral
Sandy Piccoli precisa de R$ 70 mil para custear procedimentos com células-tronco
Mãe cria campanha para tratamento de filho com paralisia cerebral
AMOR DE MÃE - Sandy Caroliny Piccoli luta para conseguir tratamento com células-tronco para o filho (Foto: Arquivo Pessoal)
Nicolas Felipe Campos Piccoli, de apenas dois anos, mesmo com a pouca idade já tem uma grande história de vida. Nascido prematuro, aos seis meses de gestação, o pequeno é portador de paralisia cerebral, além de sofrer de síndrome epiléptica. Devido à condição do filho nesses últimos dois anos, a mãe Sandy Caroliny Piccoli, que é de Lençóis Paulista, mas reside atualmente em Botucatu, iniciou uma batalha e criou a campanha “Somos Todos Nicolas” para angariar fundos para custear o tratamento com células-tronco, no valor de R$ 70 mil. 
Para isso, a mãe guerreira não para de agir. Vendendo doces, copos e camisetas, Sandy precisou deixar o emprego para os cuidados com o filho, e agora busca doações para realizar um evento maior: a Pizza do Nicolas. “Venho por meio desta matéria pedir a ajuda de todos vocês para o nosso “Dia da Pizza” que será realizado em Lençóis Paulista no dia 10 de novembro com a comercialização de pizzas no valor de R$ 25. Já consegui as massas com a Padaria Bartoli, de Botucatu. Agora preciso de doações dos ingredientes para a confecção, como mussarela, calabresa, tomate, azeitonas, orégano, molho de tomate e as embalagens”, explica.
Sandy sabe que a condição do filho é definitiva, mas busca melhorar a qualidade de vida com o tratamento com células-tronco que, segundo ela, custa cerca de R$ 70 mil e não tem no Brasil. “Nicolas faz acompanhamento médico (neurológico e gastrológico) no Hospital das Clínicas, da Unesp de Botucatu. Além de fazer fisioterapia e fonoaudiologia da Apape (Associação de Pais e Amigos das Pessoas Portadoras de Necessidades Especiais) e utiliza a Adefib (Associação dos Deficientes Físicos de Botucatu)”, conta a mãe do Nicolas, que ainda não consegue andar e sentar e, além da paralisia cerebral, também sofre de síndrome epiléptica e toma medicação contínua para evitar convulsões.
Sandy explica ainda que a técnica não existe no Brasil e que precisa levar Nicolas para o Paraguai, onde o tratamento com células-tronco pode melhorar as lesões cerebrais do menino. A família mora no Residencial Paratodos, em Botucatu, e luta para conseguir o valor de R$ 70 mil para fazer um tratamento de terapia celular para que Nicolas viva melhor.
“Criamos essa campanha com o intuito de tentar juntar o máximo possível para estarmos mais próximos de realizar nosso sonho de dar uma condição de vida melhor ao nosso filho. Quem tiver interesse em nos ajudar, ficaremos eternamente gratos”, ressalta. 
Para divulgar as campanhas, a família criou uma página no Facebook: Somos Todos Nicolas e deixa seu contato e o número da conta bancária para quem se interessar em ajudar de alguma forma. Telefone: (14) 99702-8069 (Sandy Piccoli); Conta Bancária: Caixa Econômica Federal, agência 4896, conta poupança 6385-7, operação 013 (Nicolas Felipe Campos Piccoli).
PIZZA DO NICOLAS
A comercialização das pizzas (sabores de mussarela e calabresa) no valor de R$ 25 cada será feita no dia 10 de novembro, das 13h às 17h. A retirada será feita na Rua Odila Joana Paccola Ludovico, 156, no Jardim Açaí I, em Lençóis Paulista. Outras informações pelo telefone (14) 99702-8069.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia