publicidade
São Paulo já registra quase 3 mil casos de sarampo no ano
Na região já foram confirmadas 12 infecções; uma em Agudos e 11 em Bauru
São Paulo já registra quase  3 mil casos de sarampo no ano
SURTO - Número de casos de sarampo aumenta e já chega a quase 3 mil no estado de São Paulo; vacina é meio mais seguro de prevenção (Foto: Divulgação)
O preocupante surto de sarampo continua a aumentar em todo o país, principalmente no estado de São Paulo, que já registra quase 3 mil casos da doença, de acordo com o mais recente balanço da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado na última quarta-feira (4). Até o momento, 110 cidades paulistas confirmaram infecções, inclusive Agudos (1) e Bauru (11). Três pessoas já morreram em decorrência de complicações relacionadas à enfermidade.
De acordo com os dados da Secretaria Estadual de Saúde, de 1 de janeiro a 31 de agosto haviam sido confirmados 2.982 casos, a grande maioria em pacientes residentes em cidades da região metropolitana de São Paulo, principalmente na capital, que já notificou 1.883 casos positivos neste ano. Em relação ao balanço que havia sido divulgado na semana anterior, que apontava a confirmação de 2.457 casos, o número de infecções aumentou em 21,4%.
MORTES
Das quatro mortes confirmadas no país até agora, três ocorreram em São Paulo, que não notificava um óbito em decorrência de complicações da doença há 22 anos, desde 1997 - naquele ano 23 pessoas morreram com sarampo. O primeiro caso foi registrado em um homem de 42 anos, morador da capital, que não tinha histórico de imunização. As outras duas mortes foram de bebês: um menino de nove meses, também na capital, e uma menina de quatro meses, residente em Osasco, na Grande São Paulo. O quarto óbito foi registrado em um bebê de menos de um ano - o sexo não foi divulgado - no estado de Pernambuco.

Surto já se alastra por 12 estados e Distrito Federal
Diferentemente da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, que está considerando o número de casos de sarampo confirmados desde o início deste ano, o Ministério da Saúde tem publicado boletins epidemiológicos referentes apenas aos últimos 90 dias, que é o período em que o surto da doença começou a se alastrar pelo país. A última atualização, também divulgada na última quarta-feira (4), computa 2.753 casos no período.
Segundo o documento, entre os dias 9 de junho a 31 de agosto foram notificados 20.292 casos suspeitos. 2.109 já foram descartados, mas outros 15.430 ainda estão sob investigação. As infecções se concentram em 12 estados e no Distrito Federal, sendo a grande maioria em São Paulo. O estado registrou 2.708 casos no período, o que corresponde a 98,37% do total. Das 120 cidades com infecções confirmadas, 110 estão localizadas em território paulista.
Os demais casos foram confirmados no Rio Janeiro (15), Pernambuco (12), Distrito Federal (3), Bahia (1), Espírito Santo (1), Maranhão (1), Paraná (1), Rio Grande do Norte (1), Santa Catarina (7), Sergipe (1), Goiás (1) e Piauí (1). Nos dois últimos, os casos são considerados importados pela suspeita de contágio em outras unidades da federação. Vale destacar que Pernambuco, terceiro estado com maior número de casos, registrou a única morte fora de São Paulo.
VACINA
O Ministério da Saúde já destinou 19,4 milhões de doses da vacina tríplice viral para os estados neste ano. O objetivo é garantir a imunização contra o sarampo em todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. A vacina, que também previne contra a rubéola e a caxumba, está disponível em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS), composta por mais de 36 mil postos de vacinação em todo o Brasil.
Agudos confirmou uma infecção na semana passada
A vizinha Agudos entrou para a extensa lista de cidades com casos confirmados na semana passada. Segundo informações da Secretaria de Saúde do município, o paciente é um adolescente de 17 anos, morador do Centro, que passou por internação em um hospital particular, mas passa bem. Outras três notificações de casos suspeitos foram feitas; uma foi descartada e outras duas aguardam resultado.
Diante da confirmação, a Vigilância Epidemiológica da cidade informou que adotou o protocolo de bloqueio vacinal recomendado pelo Ministério da Saúde, imunizando todas as pessoas que tiveram contato com o paciente. O procedimento também prevê o acompanhamento do grupo durante 90 dias para monitorar possíveis focos de transmissão.
Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de Agudos, do final de julho até a semana passada foram distribuídas 1.341 doses de vacina contra o sarampo na cidade. A vacinação é feita em crianças a partir de um ano até adultos com 29 anos, com duas doses, e em pessoas entre 30 e 59 anos, com apenas uma dose. Todos os profissionais da Saúde de Agudos foram imunizados.
Secretaria Estadual de Saúde errou em notificação de Lençóis
No balanço divulgado na última quarta-feira (4) pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, Lençóis Paulista aparece na lista de 111 cidades com pacientes infectados. Segundo a planilha, um caso havia sido confirmado na cidade até o dia 31 de agosto, no entanto, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal, a informação está equivocada.
O erro teria ocorrido na elaboração do documento pela equipe do Governo do Estado, já que não houve diagnóstico positivo em nenhum dos materiais enviados para análise pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do município. Ainda segundo a assessoria, até o momento foram registradas sete notificações de casos suspeitos, mas todos foram descartados após os exames laboratoriais.
Além do atendimento regular nas unidades de saúde, nos dias 17 e 31 de agosto foram realizados dois plantões para aumentar a cobertura vacinal no município. A vacinação segue os critérios preconizados pelo caderno do Programa Nacional de Imunização: duas doses para pessoas de um a 29 anos; uma dose para pessoas de 30 a 59 anos - idosos e pessoas que já tiveram a doença não precisam tomar a vacina.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia