Fator genético está entre as causas das doenças reumatológicas
Artrite reumatoide, artrose, lúpus e outras patologias podem passar de geração para geração; diagnóstico é a melhor solução
Fator genético está entre as causas das doenças reumatológicas
IMPORTANTE - Diagnóstico precoce ajuda a evitar complicações das doenças reumatológicas (Foto: Divulgação)
Especialistas revelam que muitos casos de doenças reumatológicas têm influência genética. Diversas patologias, como artrite reumatoide, artrose, osteoporose, espondilite anquilosante, lúpus eritematoso sistêmico, artrite psoriática e fibromialgia, podem ser ocasionadas por fatores hereditários, afetando diretamente membros da família de algum portador e até mesmo seus descendentes ao longo de várias gerações.
De acordo com o Dr. Levi Jales Neto, reumatologista da Rede de Hospitais São Camilo, de São Paulo, a informação é confirmada por uma série de estudos, o que serve como um alerta. Por isso, ele destaca que é muito importante sempre observar sintomas de dor articular, além de fazer check-up regularmente para investigar sinais das doenças reumáticas em fase precoce.
“Dor articular, principalmente nas mãos, edema e rigidez articular pela manhã, associados à dor, indicam a necessidade de avaliação médica”, alerta o especialista, que diz que o diagnóstico precoce de qualquer doença reumatológica ajuda a evitar complicações e também a impedir a perda da qualidade de vida em decorrência dos diversos sintomas.
A reumatologia trata doenças relacionadas ao sistema musculoesquelético. Entre elas estão as doenças degenerativas, como artrose, tendinite crônica, lombalgias e osteoporose. Há também as autoimunes, como lúpus eritematoso sistêmico, artrite reumatoide, polimiosite, doença mista do tecido conjuntivo, síndrome de Sjogren, entre outras.
Algumas doenças causadas por infecções também são tratadas por reumatologistas. É o caso da espondilite anquilosante e da artrite psoriática. No caso das idiopáticas, a fibromialgia é a doença de maior incidência na especialidade. Leia abaixo um pouco mais sobre cada doença e saiba o peso da genética na predisposição para cada uma delas.
ARTRITE REUMATOIDE
A artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que afeta as articulações. Não se sabe a causa, mas as mulheres têm duas vezes mais chances de sofrer com a patologia, que tem entre 40% e 50% de influência genética. Dor, inchaço e vermelhidão nas articulações são sintomas da doença, que atinge principalmente as mãos e o punho.
OSTEOARTRITE DAS MÃOS (ARTROSE)
A osteoartrite, também conhecida por artrose, é uma doença que causa desgaste nas cartilagens articulares e também alterações ósseas. O popular ‘bico de papagaio’, por exemplo, pode ser uma consequência. Dor nas articulações é o principal sintoma da doença, que tem até 60% de influência genética.
OSTEOPOROSE
Com até 80% de influência genética, a osteoporose acontece quando o tecido ósseo não consegue se regenerar adequadamente, o que fragiliza os ossos. No entanto, a maioria das pessoas não tem sintomas, até acontecer uma fratura. Uma dieta saudável e exercícios físicos como a musculação ajuda a prevenir essa perda óssea.
ESPONDILITE ANQUILOSANTE
A espondilite anquilosante causa inflamação na coluna vertebral e nas articulações da região sacral, sendo até cinco vezes mais frequente em homens. Com 90% de influência genética, a doença se manifesta desde dores contínuas na região das costas até problemas mais graves em órgãos importantes, como coração e pulmão.
LÚPUS
O lúpus eritematoso sistêmico, também com influência genética entre 40% e 50%, embora também seja uma doença inflamatória crônica, pode afetar órgãos importantes do corpo, como rins, pulmões e pele. Perda de apetite, febre, emagrecimento, desânimo e fraqueza são alguns dos sintomas de alerta.
FIBROMIALGIA
Parentes de primeiro grau têm oito vezes mais chance de desenvolver a fibromialgia, que pode se manifestar isoladamente ou estar associada a outras doenças reumatológicas. A doença, que provoca dor e fadiga muscular, não tem cura, mas o diagnóstico precoce e o tratamento podem melhorar bastante a qualidade de vida.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia