Preços de produtos típicos de Festa Junina podem variar 130%
Levantamento foi realizado nessa terça-feira (11) pela reportagem do Jornal O ECO
Preços de produtos típicos de Festa Junina podem variar 130%
AUMENTO DA PROCURA - Produtos típicos ganham destaque nos supermercados (Foto: Flávia Placideli/O ECO)
Historicamente, a época das festas juninas é um período de boas vendas para o setor supermercadista, graças à procura pelos produtos típicos e ingredientes utilizados no preparo dos tradicionais pratos e bebidas relacionados a esse marco do folclore nacional. Porém, o consumidor lençoense deve ficar atento se não quiser gastar além da conta, já que os preços de alguns itens bastante procurados para os ‘arraiás’ podem variar até 130% entre os supermercados da cidade.
É o que revela uma pesquisa realizada nessa terça-feira (11) pela reportagem do Jornal O ECO, que cotou o valor de 12 produtos muito consumidos nesta época. De acordo com o levantamento, o maior percentual de variação de preços foi encontrado na canela em pó, ingrediente indispensável no preparo do tradicional chocolate quente e da canjica. Um recipiente de 30 gramas da marca Kitano é vendido entre R$ 2,39 e R$ 5,48, o que representa uma diferença de 129,28%.
No ranking de variação de preços, o segundo lugar fica com o molho de tomate tradicional, utilizado para a preparação de cachorro-quente, uma das opções de receitas salgadas para a festa. O pacote com 340 gramas da marca Predilecta varia 116,66%, entre R$ 1,38 e R$ 2,99, de um mercado para o outro. Já o da marca Pomarola, com o mesmo peso, tem diferença de R$ 24,25%, entre R$ 2,29 e R$ 2,85.
Seguindo na lista de ingredientes para a mesma receita, outro item que registra grande variação é a salsicha. O quilo do produto da marca Perdigão tem diferença de 24,53% entre os estabelecimentos pesquisados, vendido de R$ 7,99 a R$ 9,95. Na marca Sadia, a variação registrada foi bem menor, abaixo de 1%, podendo ser encontrada a R$ 13,90 e a R$ 13,98.
Outros itens que sempre estão nas prateleiras dos supermercados, e que registram aumento de vendas nesta época do ano, são o milho de pipoca, milho de canjica e o amendoim. O consumidor pode encontrar o pacote de 500 gramas do milho de pipoca entre R$ 2,49 e R$ 3,99 de um estabelecimento para o outro, com variação de 60,24%. Um pacote com a mesma quantia de milho branco de canjica pode ser encontrado entre R$ 3,49 e R$ 4,80, variando 37,53%.
A menor variação registrada desses grãos foi do amendoim cru, que oscila entre 19,23% e 28,79%, respectivamente nas marcas Zilio, vendida entre R$ 9,98 e R$ 11,90, e Yoki, vendida entre R$ 6,98 e R$ 8,99. Já o pacote de 500 gramas de amendoim torrado com casca foi encontrado em apenas um dos supermercados visitados a R$ 8,95. 
Os doces que não podem faltar em uma tradicional mesa de festa junina também não ficam atrás no quesito variação de preços. De acordo com a pesquisa, o pote de 325 gramas de paçoca em rolha da marca Yoki pode ser encontrado entre R$ 11,28 e R$ 12,95 de um local para outro, variando 14,80%.
BEBIDAS
Ainda de acordo com a pesquisa, a variação também está presente nos itens utilizados para a produção das bebidas de festa junina, como a aguardente utilizada para o preparo do quentão. A garrafa de 910 ml da cachaça Velho Barreiro, por exemplo, pode ser encontrada entre R$ 10,49 e R$ 10,90, com variação de 3,90%.
O preço da garrafa de 750 ml de vinho, utilizada para o preparo do vinho quente, varia 30,06% entre os supermercados nas marcas Chalise e Palmeiras, vendidas respectivamente a R$ 9,98 e R$ 12,98 e R$ 9,90 e R$ 11,90.
Para a produção do chocolate quente, os supermercados possuem diversas marcas de achocolatado, como o da marca Muky, vendido a R$ 2,99 e R$ 3,49, com variação de 16,72% de um local para outro.
Ingredientes como o cravo da índia e o gengibre, também utilizados para a produção de algumas bebidas não ficam de fora. O cravo da índia moído da marca Duraci registra diferença de 48,24%, com o pacote de 10 gramas vendido entre R$ 1,99 e R$ 2,95. Já o quilo do gengibre tem variação de R$ 21%, sendo encontrado a R$ 4,95 e R$ 5,99 de um estabelecimento para o outro.
EXPECTATIVA
Segundo a Associação Paulista de Supermercados (APAS), neste ano, muitos comerciantes mantém o otimismo com o crescimento nas vendas, mesmo com a alta nos preços dos principais itens consumidos no período. No comparativo com o mesmo período do ano passado, a expectativa da entidade é de crescimento de 3,7% nas vendas juninas em 2019.
Esse otimismo é sentido pelo gerente de vendas, Márcio Aparecido Crisostomo, que considera o período ótimo para as vendas, principalmente em relação aos produtos e ingredientes típicos das festas juninas. “O aumento de vendas é registrado tanto nesse mês de junho, como no de julho. Graças ao cenário econômico um pouco melhor neste ano, esperamos que isso se reflita na comercialização dos produtos tradicionais. Preparamos uma barraca com os principais itens em nossa loja para facilitar as compras ao consumidor. Já estamos vendendo bem, repondo os estoques. Nossa expectativa é bem otimista”, explica.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia