Doenças cardiovasculares matam 34 pessoas por hora no Brasil
Principal fator de risco, hipertensão arterial afeta pelo menos um a cada quatro adultos no país
Doenças cardiovasculares matam 34 pessoas por hora no Brasil
PRESSÃO ALTA - Segundo estudo, hipertensão afeta pelo menos um a cada quatro adultos no Brasil (Foto: Divulgação)
Trinta e quatro mortes por hora, 829 por dia e mais de 302 mil no ano de 2017. Esse é o retrato das doenças cardiovasculares no Brasil (infarto, AVC e outras enfermidades), que têm como principal fator de risco a hipertensão arterial. A ‘pressão alta’, como é popularmente conhecida, afeta pelo menos um a cada quatro adultos no país. Os dados preliminares são do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, que reforça o alerta para os cuidados com a saúde a partir de hábitos alimentares saudáveis.
O consumo excessivo de sódio, principal componente do sal, aumenta o risco de hipertensão e doenças do coração. A Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) aponta que dois terços do consumo de sal pela população brasileira vêm do sal adicionado direto no prato. De acordo com o mesmo levantamento, o brasileiro consome, em média, 12 gramas de sal por dia, mais do que o dobro dos cinco gramas recomendados pela OMS (Organização Mundial de Saúde).
Embora 90% dos homens e 70% das mulheres consumam mais sal do que o máximo recomendado, de acordo com dados da pesquisa Vigitel 2017 (inquérito telefônico realizado com maiores de 18 anos nas capitais brasileiras), 85,1% dos brasileiros adultos consideram seus hábitos adequados, o que reforça o alerta sobre o uso excessivo do sal e a percepção desse consumo.
Segundo Michele Lessa, responsável pela Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde (CGAN), graças a acordos celebrados pelo Ministério da Saúde, 17 mil toneladas de sódio foram retiradas de alimentos que seriam consumidos pela população desde 2011, mas ainda assim é preciso reduzir a quantidade nas preparações culinárias. “É fundamental que as pessoas se acostumem com menores quantidades de sal. Os hipertensos que usam medicamentos, em geral, não reduzem o sal e isso também é preocupante”, pontua a coordenadora.
PREVENÇÃO 
Além de múltiplas estratégias nos serviços de saúde e metas de redução de sódio com a indústria, o Ministério da Saúde recomenda, para a prevenção da hipertensão, a adoção de um estilo de vida saudável desde a infância até a terceira idade, com alimentação balanceada e prática de exercícios físicos, além da realização de exames de saúde rotineiros pelo menos uma vez no ano.
TRATAMENTO
O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece gratuitamente medicamentos nas Unidades Básicas de Saúde e pelas unidades farmacêuticas credenciadas ao programa Farmácia Popular. Para retirar os remédios, basta apresentar um documento de identidade com foto, CPF e receita médica dentro do prazo de validade, que são 120 dias. A receita pode ser emitida tanto por um profissional do SUS quanto por um médico que atende em hospitais ou clínicas privadas.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia