publicidade
SUS terá nova vacina contra a meningite
ACWY, que hoje está disponível apenas no sistema particular, protege contra mais tipos da doença
SUS terá nova vacina contra a meningite
SUS – Nova vacina ACWY contra meningite deve entrar no calendário de vacinação do Sistema Único de Saúde (Foto: Divulgação)
Mais uma vacina deverá entrar no calendário de vacinação: a Meningo ACWY. Essa informação foi dada pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), nesta quinta-feira (18), que afirmou que a decisão já foi tomada pelo Ministério da Saúde, mas ainda não há data certa para entrar em vigor.
Atualmente a vacina está disponível apenas no sistema particular e custa, em média, R$ 350 cada dose. Já a rede pública oferece a vacina contra meningite C, mas essa nova vacina deverá substituí-la, cobrindo mais três tipos de sorologia.
A decisão foi tomada devido a uma análise que apontou uma mudança na epidemiologia da meningite com aumento dos casos da tipologia W – não coberta pela vacina atualmente disponibilizada pelo sistema público de saúde. 
Hoje, o sistema público oferece apenas a vacina contra o sorotipo C, indicada para bebês (aos 3 e 5 meses e com reforço aos 12 meses) e adolescentes (dos 11 aos 14 anos). A proposta é começar a aplicação da vacina pelos adolescentes, mais suscetíveis à transmissão, e ir aumentando a oferta a outros grupos gradualmente.
Embora o sorotipo B seja o segundo mais comum entre as meningites bacterianas no país (perdendo apenas para a C), o ministério avaliou que, epidemiologicamente, seria mais importante incluir a ACWY por causa do aumento da incidência do sorotipo W no mundo e em alguns Estados do Brasil.
Entenda a doença, os tipos e quem deve tomar a vacina
A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Essa inflamação pode ser causada por micro-organismos (vírus e bactérias), alergias a medicamentos e outros agentes.
As meningites bacterianas e virais são as mais comuns e que demandam maior atenção da saúde pública. A doença é endêmica no Brasil e casos são reportados ao longo de todo ano com surtos ocasionais, mas a forma bacteriana preocupa por sua gravidade.
Segundo informações do Ministério da Saúde, a meningite pode atingir todas as faixas etárias, mas o maior risco é para crianças menores de cinco anos, em especial as menores de um.
O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece quatro tipos de vacina contra as principais causas de meningite bacteriana. No Brasil, a prevalência é das infecções do tipo C e por isso o SUS não oferece vacina para o tipo B. Segundo dados do Ministério da Saúde, dos mais de 16 mil casos da doença registrados em 2017, apenas 145 foram de meningite tipo B.
COBERTURA VACINAL
Segundo o Ministério da Saúde, dados preliminares da cobertura vacinal de meningite de 2018 mostram que o Brasil ainda está abaixo da meta. Em 2017, a cobertura ficou em 86%. Em 2018, os dados preliminares mostram que a cobertura ficou em 79%.
Em 2018, foram registrados 17.219 casos de meningite no Brasil. Em 2017, foram 16.992 e em 2016 15.629. São Paulo é o estado com o maior número de casos registrados nos últimos anos.
No Brasil, dos casos confirmados por ano, 8,6 mil são virais, 5,4 mil bacterianas e o restante causado por outros agentes. Embora a maior parte das infecções seja causada por vírus, a bacteriana é a mais letal: 978 pessoas morreram em 2018 pelas formas da doença causadas por bactéria enquanto a patologia viral vitimou 103 pacientes.
Quais vacinas estão disponíveis na rede privada?
A rede privada de saúde oferece vacinas para os tipos A, B, C, W e Y. Geralmente, as vacinas são dadas de duas formas: uma vacina conjugada, que como o nome diz, cobre os tipos A, C, W e Y. E uma vacina para o tipo B. O Ministério da Saúde diz que não há pedido de incorporação da vacina para a meningite B no SUS, só para a ACWY.
O SUS oferece quatro tipos de vacina para meningites bacterianas. São elas:
BCG: que protege contra a meningite turberculosa
Pentavalente: protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada pelo Haemophilus influenzae sorotipo b
Meningocócica C: protege contra a doença meningocócica causada pela Neisseria meningitidis sorogrupo C
Pneumocócica 10: protege contra as infecções invasivas, entre elas a meningite causada por dez sorotipos do Streptococcus pneumoniae
Quando tomar a vacina?
BCG (contra a meningite turberculosa): uma dose ao nascer
Pentavalente (contra meningite causada pela bactéria Haemophilus influenzae B): doses aos dois, quatro e seis meses de vida
Meningocócica C (contra meningite causada pela bactéria Neisseria meningitidis sorogrupo C): doses aos três e cinco meses, reforço com um ano. Adolescentes de 11 a 14 anos devem receber dose única como reforço.
Pneumocócica 10 (contra meningite causada por dez sorotipos do Streptococcus pneumoniae): doses aos dois e quatro meses e reforço com um ano.
comentários 0 Comentário
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
  • Ainda não há nenhum comentário para a matéria. Seja o primeiro!

Todos os direitos reservados © Jornal O ECO 2019 - oeco@jornaloeco.com.br - telefone central: (14) 3269-3311

desenvolvido por Natus Tecnologia